10 coisas que você pode fazer para ajudar um amigo com a ansiedade

É compreensível que não se tenha dado conta de que está experimentando seu amigo para as primeiras de mudança. Talvez se sinta triste ou pensa que o seu amigo é um preguiçoso ou que está te evitando. Mas o melhor está passando por algo completamente diferente e, ao sofrer de ansiedade, pode disgustarse muito se pensasse que poderia tê-la ofendido.
Por esse motivo exposto abaixo algumas das coisas que provavelmente seu amigo deseja poder contar-lhe sobre a sua ansiedade, e de que modo pode ajudá-lo.
Compreende-se que se trata de algo difícil de controlar, não existe um botão de desligar e ligar. E que às vezes a ansiedade pode chegar a saturarle a mente, deixando pouco espaço para algo que não seja preocupar-se.
Não é porque não queira te ver, ou porque não se possa incomodar. Nesse momento, a ansiedade fez ato de presença e o medo de sair e encontrar-se em uma situação social dá muito medo, não se veja isso como algo pessoal.
Entende que é cansativo, por isso parece que está sempre cansado. É possível que você não entenda o porquê. Mas mesmo que não esteja fazendo um esforço físico, a sua mente está revolucionado, algo que consome muita energia e pode resultar em sintomas físicos.

Existem diferentes situações e ambientes que podem causar ansiedade. Lugares públicos, conhecer pessoas, o trabalho e os actos sociais (até mesmo usar um banheiro público) podem causar muita ansiedade. Se o seu amigo sofre de ansiedade social, pode preocuparle muito que a gente se ria dele, o que vão dizer dele ou fazer algo que lhe incomode. É provável que se preocupar com o antes, durante e depois da celebração, é um problema muito invasivo.
A ansiedade pode se apresentar de diversas formas. Seu amigo pode mostrar-se irritado ou reagir exageradamente por coisas que normalmente não lhe provocarão esse comportamento, como, por exemplo, sobresaltarse ou entre em pânico. Tenta não tomártelo como algo pessoal e tenha paciência.
Pergunte o que você precisa. Algumas vezes, pode ser um abraço, outras vezes nada. Mas é importante informar ao seu amigo que pode lhe pedir ajuda e que não tenha medo de fazê-lo.
As pessoas com ansiedade costumam ser muito conscientes que se preocupam demais, que devem tentar se acalmar ou de que estão reagindo exageradamente. Mas dizer que não vai servir-lhes de ajuda. Já sabem, e se pudessem, fariam.
Se o seu amigo não quer fazer algo, deixe-o estar. Não tente convencê-lo de que mude de opinião, e não lhe obrigue a passar por certas situações, porque conseguirá que se sinta ainda pior.
Não desaparezcas. Segue convidando-o, apesar de o rejeitar continuamente ou aceite, e depois cancelada, continua a oferecer-lhe a vê-lo. Sugere algo que só vos associeis com os dois. Há dias melhores e dias piores e é possível que um dia seu amigo se senta com vontade de aceitar a oferta.
Se o seu amigo lhe diz que sente ansiedade, tenha em conta que é possível que não saiba por que, ou que não possa explicar. Pergunte se você pode fazer algo para ajudá-lo, mas aceita sua resposta se você não pode dizer o que lhe preocupa no momento. Ao contrário, tentar simpatizar com ele. Pense como você gostaria que ajudassem se você sintieses chateado ou ansioso.
O melhor que você pode fazer para ajudar seu amigo é aprender e entender melhor sua doença, tenha paciência, seja educado e não o abandone: ele precisa de você.