A electroestimulação como um método alternativo na reabilitação de joelho

O joelho é uma das articulações corporais que mais sofre por sua função de carga dinâmica. A sobrecarga por movimentos repetitivos, como os que se realizam em muitos esportes, as paragens ou curvas bruscas e os impactos diretos nesta articulação biomecánicamente complexa são as principais causas de lesões. Além disso, a idade provoca um desgaste evidente nas articulações, e o joelho é uma das que mais sofre.
Um dos problemas mais importantes relacionados a lesões de joelho de longa evolução, e esse desgaste, é que a dor limita a mobilidade da articulação, levando a uma atrofia muscular que enfraquece o joelho. É por isso que, na atualidade, é aconselhável movilizarla o quanto antes, mesmo se ele foi tratado cirurgicamente.
Com o objectivo de reduzir a dor ao mover a articulação e a inflamação, a electroestimulação desempenha um papel fundamental, especialmente nas primeiras fases, permitindo encurtar o tempo de recuperação de forma substancial.
O que é o TENS?
Atualmente, os fisioterapeutas utilizam um aparelho que é conhecido como o TENS (estimulação elétrica transcutânea do sistema nervoso), que, através de uns patches que aderem à pele sobre o músculo, ligamentos ou tendões lesionados, geram uma série de impulsos elétricos, que estimulam os músculos e os nervos da região. Desta forma, se põem em marcha uma série de mecanismos naturais de nosso corpo para reduzir ou eliminar a dor.
Mais especificamente, os mecanismos que ativam inibem a interleucina-1, a principal responsável pelas respostas inflamatórias por parte do cérebro. A eletroestimulação também provoca a liberação de endorfinas, agindo sobre os receptores da dor e, portanto, reduzindo ou até mesmo eliminándolo.
Este aparelho dispõe de vários programas que determinam a freqüência e a intensidade com que se dão os impulsos elétricos, que podem ser aplicadas entre 10 e 15 minutos em cada sessão de fisioterapia.

EMS, estimulação elétrica do músculo
No mesmo aparelho costuma haver outra opção de eletroestimulação, que é chamada de EMS (electroestimulação muscular), cujo objetivo é fortalecer músculos, ligamentos e tendões, assim como acelerar o restabelecimento da mobilidade e a recuperação do tônus muscular. A corrente elétrica gerada a partir do dispositivo EMS estimula o músculo para expandir-se e contrair-se. Isso fortalece a fibra muscular e aumenta a circulação de sangue para os músculos, fazendo com que estes obtenham mais nutrientes e, portanto, se recuperem mais rapidamente.
Ao eliminar ou reduzir a dor com a aplicação do TENS, elimina-se uma barreira essencial para mover a articulação com uma maior extensão, o que permitirá fortalecer. O EMS, por sua vez, reforça o tônus muscular e, consequentemente, a estabilidade do joelho, o que contribui também para reduzir gradualmente a presença de dor e a favorecer o que se possa voltar a caminhar com confiança.
Graças ao computador TENS, os fisioterapeutas são capazes de aliviar rapidamente a dor de seus pacientes, especialmente os de origem traumático, de forma pouco invasiva, respeitando a sua saúde integral e sem efeitos adversos, se bem que o seu uso está contra-indicado em alguns casos, como o de as mulheres grávidas ou as pessoas portadoras de pacemakers.
Em relação a outros métodos de tratamento mais convencionais com os que às vezes não se obtém uma clara melhoria, a eletroterapia se apresenta como uma alternativa eficaz para a recuperação de lesões de joelho, e para aqueles casos em que o fortalecimento do joelho parece não ser suficiente.