A importância de ir ao dentista durante a gravidez

Desde que a mulher descobre que está em estado de gestação até o nascimento do bebê é necessário que cuide especialmente a sua saúde: as revisões ginecológicas, as ecografias, as diferentes provas em que tem que se submeter para se certificar de que tudo está indo de acordo com o previsto, o cuidado especial com a alimentação (sobretudo se se dá o caso de sofrer de diabetes gestacional, por exemplo)… Mas há algo que talvez não prestamos toda a atenção que merece e que é igualmente importante: o cuidado da saúde oral durante a gravidez.
Os problemas oral associados à gravidez
De acordo com estudos da SEPA (Sociedade Espanhola de Periodontia e Osteointegração) existe uma relação direta entre as doenças periodontais, o parto prematuro (antes da semana 37 da gravidez) e o baixo peso ao nascer (com uma média de 50 gramas menos do peso do recém-nascido). Durante a gravidez é comum que ocorra um agravamento do estado de saúde oral de uma mulher, o que tem implicações negativas diretas sobre sua saúde, sobre o próprio processo de gestação e também sobre a saúde do feto.
Os problemas oral que mais costumam aparecer durante a gravidez são a gengivite, inflamação e o sangramento das gengivas: cerca de 35% das grávidas afirma ter sofrido alguma destas patologias durante a gestação. Outras afecções oral que também costumam se relacionar com a gravidez são a excessiva salivação humana durante o primeiro trimestre e as erosões ou desgastes dentais causada por vómitos. Também o épulis da gravidez, um cisto benigno, que se forma na gengiva ou nas partes moles da boca, é uma das patologias mais comuns em mulheres em estado de gestação (costuma aparecer durante o primeiro trimestre devido ao desequilíbrio hormonal na mulher, e desaparece de forma espontânea após o parto).

Em Portugal cerca de 100.000 mulheres grávidas, a cada ano, teriam periodontite: uma doença crônica que ocorre quando a inflamação ou infecção das gengivas (gengivite) deixa que avanço sem tratamento. Nelas, o risco de um parto prematuro seria o dobro do que em mulheres com gengivas saudáveis. Este risco pode acumular-se a outros fatores que podem causar o parto precoce, tendo assim uma maior predisposição para o mesmo.
A importância de ir ao dentista durante a gravidez
Apesar de que estes são problemas comuns, 40% das mulheres grávidas afirma que só vai ao dentista, encontrando-se em estado, se assim o prescribiera o seu ginecologista. Apesar disso, três em cada quatro mulheres é consciente de que a saúde oral deve extremarse durante a gravidez, o que é um bom começo.
Devemos ter em mente que é importante controlar a nossa saúde oral na gravidez, e que podemos ir ao dentista, em qualquer momento deste: se bem que pode existir a crença popular de que os tratamentos periodontais são incompatíveis com as mulheres grávidas, é hora de acabar com esse mito, já que podem ser aplicadas sem efeitos potencialmente adversos sobre a gravidez, sobre o processo de gestação e sobre o feto.
A visita ao dentista durante a gravidez, longe de ser contra-indicado, se faz necessário tanto para prevenir possíveis doenças, como a gengivite como para dar solução aos processos que se encontrem já em andamento, sem afetar negativamente o futuro bebê ou a mãe.
Além disso, é muito importante que antes e durante o período de gestação que a mãe mantenha uma correta e meticulosa higiene oral: – se você tem inflamação gengival antes da gravidez, a freqüência aumenta até o 36-100% dos casos, enquanto que, se não se sofria antes de engravidar, a menos de 1% das grávidas apresentam esta patologia.