A importância de ser reexaminado na pele após o verão

Deixamos para trás as férias, as temperaturas começam a baixar e a nossa pele é cada vez menos visível sob a roupa, mas não há que esquecer que continua lá, e acabou de passar uma longa temporada exposta ao sol, ao cloro da piscina, água do mar… Parece um bom motivo para revisão da pele após o verão. Em seguida contamos-lhe por que é importante.

Riscos para a pele da exposição ao sol
Conhecemos a necessidade de proteger a nossa pele no verão, mas a Academia Espanhola de Dermatologia e Venereología (AEDV) adverte que apenas 2,5% dos espanhóis se aplica a protecção solar de maneira correta, é mais, 15% da população se queima a cada verão. Por outra parte, ainda é necessário utilizar cremes protetores para evitar queimaduras, os cientistas não têm evidência suficiente para afirmar que nos protegem 100%.
Os efeitos nocivos dos raios UV dependem não apenas do sol que tenhamos tomado, mas também da sensibilidade de nossa pele, relacionada com a quantidade de melanina que contém, o que o torna mais clara ou mais escura. Em qualquer caso, os anos de exposição ao sol, têm um efeito cumulativo, e produzem o fotoenvelhecimento, o que resulta em rugas e manchas, além de implicar outros riscos, como o aparecimento de pontos de rubi, verrugas, tumores benignos ou até mesmo câncer de pele (melanoma e carcinomas cutâneos).
As radiações solares podem produzir mutações no material genético (DNA) da epiderme, destruindo a sua capacidade de reparação e iniciando assim o processo de formação do câncer. Segundo informa a AECC (Associação Espanhola Contra o Câncer), a incidência do câncer de pele em países desenvolvidos tem vindo a aumentar, por causa da maior exposição solar que praticamos por motivos estéticos ou de lazer.

Outros fatores do verão que danificam a pele
Além dos riscos de tomar o sol, seja deitado sobre uma toalha, caminhando ou praticando qualquer atividade ao ar livre, o verão também é época em que passamos mais tempo na água, seja na piscina ou na praia.
O cloro das piscinas favorece o aparecimento de ressecamento e irritações da pele, causando coceira, vermelhidão, e inchaço da pele, especialmente se tivermos pele atópica. A água do mar em geral, não causa problemas, mas pode produzir efeitos semelhantes para as peles mais sensíveis.
O calor, o vento e o ar condicionado no máximo são agentes externos que também afetam a pele, dando lugar a irritações, mais secagem ou desidratação, e fazendo com que a nota áspera e desagradável.
Revisão da pele: prevenção e afinação
Tendo em conta tudo o que foi mencionado, é fácil intuir a importância de verificar a pele após o verão, sobretudo como medida de prevenção.
O diagnóstico precoce é fundamental para poder tratar e curar o câncer de pele, que pode se manifestar de diferentes formas, desde um bultito a lua que cresce. Os melanomas diagnosticados e tratados precocemente se curam-se praticamente na totalidade dos casos, através de uma simples extirpação, que é feita com anestesia local.
Na revisão anual, com o dermatologista pode detectar lesões ou possíveis problemas e indicar o tratamento adequado, bem como dar as diretrizes de como fazer uma ciência, a cada três meses, no caso de que seja necessário controlar manchas ou pintas.
A pele é o maior órgão de nosso corpo, o que o protege e mantém contato com o exterior. Por isso é vital tomar precauções e cuidados no nosso dia-a-dia, para que se mantenha saudável todo o ano.
Fotos | iStock