A musicoterapia

A musicoterapia

Desde tomar um medicamento, até fazer algum esporte ou exercício físico,há uma infinidade de possibilidades que podemos desenvolver para curarnos de qualquer problema, ou pelo menos, para nos ajudar a levá-lo melhor. Toda uma gama de terapias que, em alguns casos, nos surpreendem, já que não imaginamos que possa ser efetiva. Este é o caso da musicoterapia. Não faz falta ser um lince para perceber que a musicoterapia é a música e a terapia. É dizer, a musicoterapia é o uso da música para fins terapeúticos. Sorprente, não é verdade?. Em medicina, nunca deixam de nos surpreender.
Dentro da musicoterapia pode fazer música ativa ou música passiva, em função de a música você faz isso ou a receber. No caso do vídeo que vimos, é a música passiva, nesse caso através de vibrações. Você pode se tornar um musicoterapeuta, sempre e quando tenha estudos relacionados com a música ou com a medicina e a ajuda às pessoas. Essas profissões são: psicólogo, pedagogo, médico, professor, piada (vídeo educativo, enfermeiros, fisioterapeutas, profissionais da música, educadores sociais e terapeutas ocupacionais.
Quando uma música gosta de nós, colocamo-nos alegres, cantamos…em troca, quando não gostamos, nós nos colocamos triste, de mau humor, dizemos que essa canção não vale para nada…o que tento dizer é que a música tem a propriedade de “jogar” com o nosso estado de ânimo. A musicoterapia ajuda a um equilíbrio psicofísico das pessoas. Baseia-Se essencialmente em 3 características: a auto-estima, a interação positiva com outras pessoas e o uso do ritmo como fonte de energia e ordem. Outro aspecto interessante é a própria voz, já que, segundo os especialistas, emitindo em uma tonalidade adequada, podemos projetar a doença e devolvê-la a seu estado ideal. Isto, como tudo, há quem se acredita e a quem não. Eu, até que não veja eu não o creio.

Em geral, a musicoterapia está diagnosticadapara a insônia, a depressão, a hipertensão, dor de cabeça, dor de estômago, ansiedade…mas é certo que se é eficaz pode ser útil para mais doenças ou problemas. A origem da musicoterapia é muito distante, já que os xamãs ou os médicos bruxos já a utilizavam há muitos anos. Nos EUA é reconhecida como profissão em torno de 1950. Sempre existiram ritos musicais da história, lembre-se, por exemplo, na dança dos povos africanos. Em suma, foi reconhecida a musicoterapia para os fins que faz em relação à vertente terapêutica.