A sensibilidade dental: por que acontece e como resolvêla

A sensibilidade dentária é uma patologia frequente em adultos entre os 25 e os 45 anos, mas é certo que a idade não influencia na dela e pode apresentar-se em qualquer idade. É a dor de dente mais freqüente e o que menos se consulta e se vai ao dentista. Deve-Se ter em mente que você pode ser o primeiro sintoma da existência de outras patologias que, se diagnosticados precocemente, podem ser tratadas de forma eficaz.
O que é a sensibilidade dental?
É uma dor aguda e de curta duração, em resposta a estímulos térmicos, químicos, osmóticos ou táteis.
Como ocorre?
Devido à exposição da dentina (ou marfim), devido à retração da gengiva ou um desgaste do mesmo tipo traumático, seja por escovados agressivos e continuados no tempo, bem pelo consumo de diferentes ácidos em comidas e bebidas.
Fatores de risco para sofrer de sensibilidade ou a hipersensibilidade dental
Eis alguns:
Técnicas inadequadas de higiene bucal.
Uso de escovas dentais com filamentos rígidos.
Uso de cremes dentais abrasivos.
Erosões químicas do dente produzidas por ácidos ou acúmulo de placa bacteriana da gengiva.
E o que as pessoas têm mais risco de sufrirla?
As que se escovam os dentes com força, as diagnosticadas com recessão gengival, as que estão em tratamento periodontal, as pessoas bulimicas e as pessoas com epilepsia, são as mais propensas a ter hipersensibilidade nos dentes.
Qual a relação da dieta e a sensibilidade dental?
Pois muita, pois as dietas ácidas incidem negativamente sobre os dentes. São dietas consumidas regularmente e que são considerados saudáveis, mas prejudiciais para o esmalte e a dentina, erosionándola pouco a pouco. O PH crítico em que se dissolve o esmalte está entre 5-5’5.
Alguns bebidas que prejudicam os nossos dentes são: o vinagre e o vinagre balsâmico, o vinho tinto e também o branco, as bebidas de cola, a cerveja, o suco de laranja e de maçã, café, etc.
Por que é importante tratá-la

A sensibilidade dental deve tratar-se, pois, de não fazer, podem aparecer doenças periodontais, cáries nos dentes e sintomas de outras doenças relacionadas com a saúde da boca.
O fundamental é colocar em prática medidas preventivas que ajudam a evitar a hipersensibilidade que palíen a dor e o desconforto. O profissional da consulta dental deve, junto com o paciente, analisar as causas que provocaram a hipersensibilidade dental e tentar evitá-las no futuro.
Alguns conselhos para evitar que a sensibilidade dos dentes vá a mais são:
A supressão de produtos ácidos na dieta (alguns dos que vimos anteriormente).
O uso de escovas dentais com filamentos macios.
A utilização de pastas dentífricas não abrasivas.
Algum tratamento dentário preventivo, desenvolvido a partir da consulta odontológica, como os tratamentos químicos com pastas ou géis ou algumas cirurgias para cobrir as recessões gengivais, mesmo as endodoncias para matar o nervo.
Em resumo e para terminar, queremos fazer algumas recomendações básicas a seguir se você sofre de sensibilidade dentária:
Procure o possível origem: analisa as causas que são capazes de provocar a sensibilidade e tenta corrigi-las.
Assista sua dieta e elimina os alimentos e bebidas que têm um PH prejudicial para a saúde de seus dentes.
Estude com o seu dentista ou higienista dental as técnicas de escovação que você usa.
Suaviza seus escovados dentais e usa técnicas vibracionais, não rotativas, que são menos agressivas para os dentes.
Não cepilles seus dentes imediatamente depois de ter ingerido alimentos ácidos.
Esperamos ter sido úteis com este post e ter animado a proteger seus dentes da sensibilidade dental.
Fotos | iStock / MariaDubova / Halfpoint