Adolescentes: ¡rebeldes com causa!

Os estudos indicam que entre 5 e 15 por cento dos adolescentes passam por grandes conflitos com os pais, mas na grande maioria dos casos, para vencê-los basta gerir ou, ao menos, tentar gerir a rebeldia e as mudanças físicas e hormonais.
A OMS (Organização Mundial de Saúde) diz que a adolescência é o período compreendido entre os 10 e 19 anos. Nesses anos ocorrem muitas mudanças, propiciados principalmente por alterações hormonais que resultam em flutuações de humor imprevisíveis. Por isso, o apoio psicológico pode ajudar-nos a compreender melhor por que ocorrem estas alterações na conduta e nos podem dar diretrizes para lidar com elas.
Durante a adolescência, o cérebro das crianças sofre uma mudança muito drástica, onde tem que começar a controlar as suas emoções, a saber expressá-las e gerenciá-las. Não vale tudo, há que seguir algumas orientações específicas para que esta fase de transição seja o mais harmoniosa possível.
Sensibilidade
Há que ter em conta que durante esses anos, os adolescentes são mais sensíveis às emoções e a sua auto-estima ressente-se, em parte, por mudanças físicas que vão experimentando e porque se comparam com seus amigos, querem se parecer com os mais “populares” e isso afeta tudo o que tem que ver com a sua aparência, que em algumas ocasiões não é a desejada (mais espinhas no rosto, começam a ter pêlos…). Têm que aprender a se adaptar a essa transformação que está sofrendo o seu corpo.
A forma de se relacionar com os outros também sofre modificações. A família já não é o importante e o essencial agora é o seu grupo de amigos. Por isso, podem surgir novos conflitos. Contar com a ajuda e o apoio psicológico é fundamental para lidar com essas situações, já que as contínuas discussões com os adolescentes podem afetar as relações futuras entre pais e filhos.
Conhecer e se interessar por seus amigos é uma forma de se aproximar dele. Para os pais, é preciso saber com quem se relaciona o seu filho e para os filhos é uma forma de saber que podem ir para casa com seus amigos.

A sinceridade é fundamental em qualquer relacionamento, por isso é bom promover isto. Para criar esse clima, podemos recorrer a uma equipa de especialistas que nos dar as diretrizes necessárias para nos relacionarmos com nossos filhos adolescentes, sem que nos percebam como controladores ou atosigadores. Se nós falamos sobre os planos que fazemos com nossos amigos, onde temos jantado ou que filme nós vamos ver, eles verão normal contar o que fazem quando saem com seus amigos. Isso nos dará tranquilidade e nos ajudará a saber se têm algum problema.