Artrose: quando o seu joelho se queixa da idade

Atualmente no Brasil existem mais de sete milhões de pessoas afetadas pela artrite ou osteoartrite, sendo esta a doença reumática mais frequente entre a população, especialmente entre as pessoas de idade mais avançada. De acordo com os dados fornecidos pela Organização Mundial de Saúde, 28% da população com mais de 60 anos sofre de osteoartrite sintomática. Em seguida vos explicamos em que consiste e porque é que esta patologia e quais são os tratamentos que existem para melhorá-la.
O que é artrose?
A artrose é uma doença crônica que afeta as articulações, afetando, especialmente, os joelhos, as mãos, quadril ou coluna vertebral. A artrose pode cursar com inflamação e é uma doença degenerativa que está muito relacionada com o desgaste ou envelhecimento das articulações.
Para poder entender o que causa a osteoartrite devemos saber que as articulações são as ligações ou conexões entre os ossos do esqueleto. Essas conexões permitem o movimento entre os ossos, como no caso do cotovelo ou joelho, e para facilitar este movimento estão revestidas de cartilagem, um tecido que age como amortecedor e que facilita o movimento da articulação.

A artrose aparece quando a cartilagem se desgasta ou se deteriora, de modo que os ossos que formam uma articulação em concreto começam a rozarse e ocorre dor. Quando a cartilagem vai desaparecendo, os ossos continuam a crescer para os lados, e é como se produz, para além disso, a deformação da articulação.
Qual a idade mais comum para começar a ter artrose e por que?
A artrose afeta igualmente homens e mulheres. No entanto, no sexo feminino costuma aparecer em idade mais precoce do que no masculino: até os 45 anos no caso das mulheres e a partir dos anos 60, no caso dos homens. Em ambos os casos, a artrose aumenta de forma exponencial a partir dos 50 anos de idade.
No caso da osteoartrite de joelho em mulheres, uma das causas mais importantes (além de componentes genéticos, obesidade, possíveis traumas) é a menopausa: isto pode dever-se à queda na produção de estrogênio, neste momento do ciclo vital da mulher, já que foi comprovado que a cartilagem que recobre as articulações contém receptores para esse hormônio. Pelo momento, os estudos que existem sobre a relação entre menopausa e artrite apresentam resultados não conclusivos, mas é conveniente tê-lo em conta como uma das possíveis causas.
Quais são as causas da artrose?
Apesar de que hoje não se pode falar claramente de causas da artrose, sim, que há uma série de fatores de risco que há que ter em conta à hora de falar desta patologia:
Idade: como dissemos, as pessoas de idade avançada tendem a ser as mais afetadas pela artrose. Não é um fator excludente, já que existe um tipo de artrose ligado a pessoas jovens (artrose precoce) que pode ser provocado por trauma ou por overtraining desportivo.
Sexo: como dissemos, as mulheres têm uma maior prevalência no caso de certos tipos de artrite, como a de joelhos ou mãos.
Atividade laboral e atividade física elevada: os movimentos repetitivos em alguns trabalhos ou treinos muito duros (no caso de atletas de elite) podem facilitar o aparecimento desta patologia.
Genética: a artrose pode ser hereditária.
Obesidade: ainda não se trata de um fator de risco para a hora do aparecimento da artrose, sim, que pode agravar a situação do paciente, especialmente se você sofre nos joelhos ou nos quadris. O excesso de peso ainda mais limitado o movimento das pessoas que sofrem de osteoartrite nessas áreas do corpo.
Traumatologia: fraturas de ossos podem favorecer o seu aparecimento.
Tratamentos e resultados de tratamentos contra a artrose
Na hora de diagnosticar uma artrose de joelho (ou de qualquer outra articulação) são utilizadas diferentes técnicas: a partir da entrevista pessoal com o nosso médico ao raio x, ressonância magnética e ultra-sonografia de alta resolução.
Uma vez diagnosticada a artrose passa-se ao tratamento da mesma, que se realiza de forma multidisciplinar, incluindo exercícios físicos adaptados a cada paciente e o tratamento medicamentoso com analgésicos, anti-inflamatórios e condroprotectores no caso de ser necessário. Por se tratar de uma doença degenerativa, o objetivo do tratamento da artrose será sempre o de melhorar a dor e a incapacidade funcional, sem causar efeitos colaterais. Em alguns casos, a artrose pode necessitar de uma intervenção cirúrgica.
Não se trata de uma doença grave, mas sim o que afeta a qualidade de vida do paciente, que se vê prejudicada a sua capacidade de movimento e pode cair no sedentarismo. Por isso, é muito importante a detecção precoce para poder começar a seguir um tratamento de prevenção o mais rápido possível.