As melhores dicas na hora de realizar um clareamento dental

São muitos os usuários que, além da ortodontia, querem olhar um sorriso, não só perfeitamente alinhada, mas nívea e resplandecente. Algo que pode estar motivado por razões estéticas ou, até mesmo úteis (se, por exemplo, trabalham na televisão ou similares). Por fortuna, aplicar com sucesso é possível a mão do clareamento dental.
Um tipo de procedimento que pode ser através de várias técnicas em função das necessidades do paciente, e um processo para o que convém ter em conta uma série de considerações. Estamos Nos referindo a aqueles conselhos a priori e a posteriori do clareamento, o que fará dele um verdadeiro sucesso.
Considerações iniciais
Antes de entrar em maiores vicissitudes, no entanto, cabe comentar algumas questões sobre o clareamento. Para começar, você deve saber que o clareamento é um tratamento dentário, ou seja, que não se trata de algo meramente estético que possa fazer qualquer um, mas deve levá-lo a cabo um profissional.
Além disso, este terá que realizar um diagnóstico prévio, controlar que não existe risco para as gengivas, tecidos moles, nem para os dentes, e determinar qual é o mais adequado. Em todo o caso, alguns profissionais não recomendam aplicá-la em mulheres grávidas e menores de idade.
Também tens de saber que, a longo prazo, seus dentes voltarão a obscurecido, no entanto, tem um mínimo de duração de um ano e meio). Algo que, evidentemente, varia de acordo com seus hábitos, mas que é inevitável, pois a passagem do tempo é um dos principais fatores que interferem no tom do seu sorriso. Para que o grau de brancura perdure, além disso, você deverá tomar medidas adicionais, e mesmo, fazer um recuo. O resultado final dependerá de seu próprio dente.
Além disso, não é eficaz contra todas as manchas. É o caso das provocadas pelas tetraciclinas, um medicamento que dá um tom acinzentado a superfície do dente e que não pode blanquearse. Nesta situação, existem outras opções, como facetas, luvas ou coroas. Para aqueles pacientes que sofrem de hipersensibilidade –e uma vez que esta aumenta durante o processo-, bem como para os que se vêem afetados por gengivite ou periodontite, não é recomendável e pode até resultar em complicações.
Que tipo de clareamento dental vai te fazer

Existem vários tipos de clareamento dental a que pode submeter-se, uma técnica que avalia o cirurgião-dentista em função de suas necessidades. O objetivo de todas elas, no entanto, é reduzir a tonalidade do dente para olhar um sorriso mais jovem e brilhante. Tudo através de alguns procedimentos rápidos, simples e quase sem efeitos colaterais. Mas vamos com os mais comuns:
Clareamento dental em casa: é realizada através de moldeiras, construídas à medida e sob a supervisão do profissional. A elas se aplica o gel clareador. A ideia é que o paciente leve as postas durante um determinado período de tempo.
Fotoativação: uma das grandes vantagens de fotoativação é que, em menos de uma hora já podem apreciar-se os melhores resultados. Começa com a proteção das gengivas com uma luva especial e ainda com a aplicação do gel de clareamento, cujos resultados são aumentadas graças à tecnologia ativada por luz.
Clareamento dental misto: como seu próprio nome indica, consiste em um clareamento combinado, que alterna os dois que o antecedem na lista. Na clínica são aplicadas as técnicas de fotoativação e em casa se reforça com o tratamento do gel recuperador dental e o alvejante.
Clareamento interno: trata-se do que é aplicado sobre os dentes nos foi realizada uma endodontia e que, fruto da mesma, acabaram tornando-se mais escuras. A ideia é recuperar a tonalidade original. Algo que é realizado em várias sessões e sem anestesia na mesma clínica odontológica.
O que você precisa fazer para se preparar previamente
Todo o clareamento tem de partir de uma boca totalmente saudável. Uma cárie, por exemplo, pode permitir que os agentes branqueadores penetraran nas áreas deterioradas do dente, aumentando a sensibilidade dental. Os defeitos de formação do esmalte são outras questões que deveriam paliarse, assim como aquelas vedantes filtradas ou defeituosas (com selados deficientes e outros que podem vir a causar problemas de sensibilidade, etc.).
Além disso, é imprescindível realizar uma limpeza bucal prévia, que elimine as manchas extrínsecas e permita que o produto branqueadora está em contato direto com a superfície do dente e, consequentemente, mais eficaz.
Entre os 15 e 30 dias de antecedência também terão que ser evitados os colutorios e massas desensibilizantes à base de nitrato de potássio, e também os que contenham flúor. Estes compostos podem interferir no processo. Pela mesma razão, teremos que excluir de nossa dieta e durante o mesmo período de tempo, a ingestão de bebidas com flúor, presente em algumas águas carbonatadas.
Imprescindíveis depois do tratamento

Uma vez realizado o clareamento dental, e em especial durante as primeiras semanas, deverá retirar os alimentos ou bebidas com grande quantidade de pigmentos, ácidos e outros que causem manchas. A ideia é levar uma “dieta branca”, que obvie os corantes –naturais e artificiais-, o café, o chá, o alcaçuz, frutos vermelhos e vinho tinto, entre outros.
Dispensa também dos que se encontrem muito frios, tenha em conta que padecerás de uma sensibilidade adicional reversível quando terminar o tratamento. Se você precisa de elixires ou massas que o vão ajudar a combatê-la, que são incolores. No caso dos fumantes, por outra parte, o ideal seria que abandonassem o hábito por completo, mas cabe comentar que as primeiras 48 horas após o clareamento são básicas.
Por último, controlar os hábitos e manter uma correta higiene oral será básico para manter as condições estéticas e de saúde de sua boca, em termos gerais. Para não falar de que terá de seguir bem as prescrições que o seu dentista se dê ao respeito.