As olheiras, o fruto só de uma noite ruim?

Algumas vezes, ao acordar e olhar no espelho, vemos que a pele debaixo de nossos olhos está inchada ou que tem uma cor escurecido. São as inestéticas bolsas-inflamação – u olheiras -escurecimento da pele – que dão aparência de cansaço ou, até mesmo, de doença. Mas nem sempre ou não só acontece nesses momentos. Estas alterações podem aparecer por vários motivos, mas não devem levar a excessiva preocupação posto que geralmente tem remédio e não se trata de nada grave.
São um problema bastante comum, pois a pele do contorno dos olhos é muito sensível e fina, com apenas 0,5 milímetros de espessura, ou seja, cinco vezes mais fina que a do resto do rosto, que também é cinco vezes mais fina que a do corpo, segundo a Associação Espanhola de Dermatologia e Venereología (AEDV). Além disso, é uma área em que os níveis de colagénio são menores e se distende com facilidade pelo contínuo movimento de translação.
O que são as bolsas e as olheiras?
São doenças que ocorrem na mesma área, o contorno ocular inferior, mas que se trata de diferentes problemas. De acordo com a AEDV, na formação desses distúrbios sob os olhos influenciam vários fatores:
Genéticos.
Doença renal.
Hipotireoidismo: a tireóide lenta pode ser causa de bolsas dos olhos e afeta a 2 por cento da população.
Dieta inadequada: excesso de sal, alimentos processados e ingestão insuficiente de água.
Toxinas.
Olheiras
Principalmente surgem pela falta de sono -que provoca uma dilatação dos vasos sanguíneos – e o passo dos anos, o envelhecimento faz com que a pele seja cada vez mais fina-, mas podem também ser um distúrbio hereditário por a disposição morfológica especial da vascularização logo abaixo que se vislumbra através da fina pele dessa área. É possível que surjam também por falta de ferro, que leva a uma má oxigenação dos tecidos e, por conseguinte, a criação de coágulos sanguíneos nessa área, além da perda de gordura ao redor dos olhos.
Pode-Se falar de olheiras:
Pigmentadas: aumento da melanina da pele das pálpebras por herança genética, por dermatite atópica ou eczema na área.
Vasculares: violáceo por ter a pele muito fina nessa área que permite vislumbrar os vasos sanguíneos, o que há abaixo.
Vale de lágrimas: sulco bem marcado, que vai desde o canto interno do olho para o rosto, fruto do envelhecimento, ou por diminuição da gordura.
Sacos
Geralmente, também, por questões genéticas, esta inchaço ou profusão sob os olhos aparece pela perda de tônus muscular e da epiderme, com a posterior flacidez dessa região, ou por herniación da gordura orbital do olho, que puxa a pele para a frente. Quando aparece quando nos levantamos, trata-se de uma retenção de líquidos, às vezes, gerada por ingestão de sal em excesso.
Estes transtornos leves podem ocorrer também em crianças, com as olheiras debruçado em idades mais precoces, principalmente por predisposição genética, e as bolsas sem surgir até a adolescência, normalmente.

Como combatê-las a partir de casa
Como primeira opção antes de se submeter a um tratamento médico, deve provar simples passos que se podem fazer a partir de casa. Para reafirmar a pele sob os olhos, é bom apoiar os dedos nas têmporas, fechar com força a pálpebra durante dez segundos, repetindo dez vezes com cada olho, para finalmente fechar os dois e relaxar os traços durante um minuto.
A hora de dormir, aconselha-se a colocar a cabeça mais alta que os pés, com uma almofada grossa, para se obter uma menor inchaço das pálpebras. Aplicar frio sobre os olhos, também é útil para reduzir a congestão dos olhos, as olheiras e as bolsas. Além disso, se as olheiras são causadas por falta de ferro, é aconselhável comer carne vermelha, vegetais de folhas, frutas cítricas e gema de ovo para voltar a ter os níveis ferrosas aconselháveis, ou reduzir a ingestão de sal, quando os olhos estão inchados por esta causa.
Tratamentos médicos
Cada caso deve ser analisado por um especialista, sobre tudo quando nunca se teve olheiras ou bolsas, e aparecem de forma repentina, uma vez que podem ocorrer devido a problemas renais ou de outro tipo, que têm de ser valorizados.
Em linhas gerais, existem diferentes tratamentos para cada problema específico:
Cremes despigmentantes especiais para a pele sensível da pálpebra, no caso de as olheiras escuras.
Contornos ricos em vitamina K para as olheiras violáceas ou vasculares.
Tratamentos tipo ‘peeling’ ou laser para despigmentar as olheiras.
Tratamentos de oxigenação para as olheiras violáceas, como a carboxiterapia (aplicação de injeções subcutâneos de dióxido de carbono) para melhorar o fluxo de sangue dos capilares.
Ácido hialurônico injetado para preencher os sulcos bem marcados.
Cirurgia: para as bolsas se costuma praticar uma intervenção chamada de blefaroplastia, com o que se elimina a gordura acumulada e o excesso de pele. Nem sempre se consegue reduzir o inchaço por completo. Podem ser usados também produtos de drenagem no caso de retenção de líquidos.