Caminhadas, um bom exercício ao ar livre para os maiores

Se os médicos e inúmeras pesquisas têm deixado mais do que claro que andar faz bem para a saúde física e mental, por que não fazê-lo ao ar livre, respirando ar puro e vendo a bela paisagem? O trekking pode ser uma boa maneira de entrar em forma, aproveitando a prática do exercício. Além disso, trata-se de um tipo de esporte que podem participar pessoas de todas as idades, desde que há caminhos adequados para todos os públicos. Tudo aponta para o facto de que se trata de uma boa atividade física também para as pessoas mais velhas, mais ainda, com a chegada do bom tempo.
O que é caminhadas e quem pode praticá-lo
A Federação espanhola de Desportos de Montanha e Escalada (FEDME) define caminhadas como uma prática esportiva que se realiza principalmente pela rede viária tradicional e que está focada “para todas aquelas pessoas que gostam de caminhar”. Para praticá-lo, não há falta muita preparação técnica, nem física, nem materiais muito especializados.
Andar pelo campo, por um determinado caminho com recursos que o tornam acessível não está fechado para ninguém, nem por questões de idade, nem de estado, nem de condição física. Estima-Se que em Portugal praticam caminhadas cerca de quatro milhões de pessoas, pouco menos de 10 por cento da população.
Para a segurança dos pedestres, as federações de montanha homologan trilhas a proposta de uma associação, um clube ou uma instituição, por exemplo. Assim, caminhar por uma trilha homologado dá aos caminhantes a segurança e a tranquilidade de que não se perderão, porque haverá sinalização em cruzamentos e nós, e que o caminho sem riscos, exceto os climáticos.
A homologação oferece ao viajante informações antes e ao terminar o curso sobre suas características, como a distância, os desníveis que você vai encontrar no percurso ou o tipo de via do que se trata. Além disso, você garante que tem uma boa manutenção por parte do promotor do caminho quanto à sua segurança, transitabilidad e sinalização.
Tipos de trilhos
Como dissemos, trata-se de um tipo de exercício que podem fazer pessoas de qualquer idade. Basta escolher a rota ideal para as suas características e forma física. Em Portugal, existem três tipos de percursos pedestres homologados -que podem ser circulares ou lineares– para caminhadas, com diferentes níveis de dificuldade:
GR (identificados com as cores vermelho, preto e branco): são grandes percursos –mais de 50 quilômetros– que devem ser feitas por etapas, podendo atravessar várias regiões ou passar por uma só.
PR (sinalizadas com as cores branco e amarelo): trata-se de caminhos que são percorridos em um dia ter entre 10 e 50 quilômetros, pelas quais se chega a pontos específicos do território. O seu nível de dificuldade varia desde a simplicidade e a necessidade de realizar algum esforço físico.
SL (identificados com as cores branco e verde): consistem em passeios curtos –menos de 10 quilômetros– que se realizam em pouco tempo, com dificuldade mínima, muito apropriados para realizá-los com crianças, idosos e pessoas com problemas.

As variantes são ramais presentes em um caminho que começam e terminam em pontos diferentes ao percurso do caminho mesmo. Também existem caminhos chamados derivações, que são ramais de caminho curto para chegar a elementos de interesse, como árvores gigantes, igrejas ou fontes, muito próximos do próprio caminho. Há trilhas que ligam a rede espanhola com os países vizinhos, os quais recebem o nome de links.
Por outro lado, existem os chamados trilhas sinalizadas, os quais não passaram os controles de qualidade de uma federação de montanha e, portanto, não contam com as garantias de segurança que apresentam os homologados.
Benefícios da caminhada para a saúde
Caminhadas ultrapassa largamente a meia hora diária recomendada de exercício físico para manter um bom estado de saúde. E é que o simples fato de caminhar traz grandes melhorias ao corpo das pessoas de qualquer idade e de idosos em particular. Por isso, como caminhadas é andar por lugares bonitos e agradáveis, respirando um ar mais puro que o de cidades e em um ambiente de tranquilidade, é muito positivo tanto para o corpo como a mente.
Os principais realizações de saúde que começam a praticar caminhadas são:
Reduzir o risco de osteoporose.
Perder peso para queimar muitas calorias.
Evitar sofrer um ataque cardíaco ao ativar a circulação e fortalecer o coração.
Prevenir alguns tipos de câncer.
Baixar a hipertensão.
Aliviar as dores de costas para o eliminar tensões.
Atenuar os sintomas da artrite.
Melhorar a capacidade de concentração.
Reduzir o estresse, compensar e relaxar, longe do bulício da cidade.
Purificação dos pulmões ao respirar ar mais limpo.
Como se preparar para fazer caminhadas
Uma boa maneira de iniciar este esporte é entrando em contato com um clube de montanha da localidade em que se vive, onde se pode receber informações, dicas e truques para realizar a marcha e, inclusive, se inscrever nas caminhadas que tenham programadas.

Em todo o caso, a hora de realizar este tipo de exercício, que é útil, de acordo com FEDME:
Abertura da excursão: além de informar a um conhecido que vai fazer a rota, é conveniente estudar o curso, ver se você se adapta às nossas condições físicas e conhecimentos técnicos e olhar para as previsões do tempo.
Ir equipado: mas isso depende do tipo de rota, os especialistas recomendam levar uma mochila com uma capacidade de entre 20 e 30 litros projetada para a montanha. Entre as coisas desejáveis que meter nela, estão água, material de orientação, como um mapa ou uma bússola, um telefone celular para usar em caso de emergência, comida e algum alimento energético, proteção solar e labial, uma lanterna, uma navalha, uma capa ou manta térmica, roupas de proteção e reposição, óculos de sol, um pequeno kit de primeiros socorros e documentação.
Para Saber como agir durante a viagem: há que estar atenta as mudanças do clima, parar de vez em quando e comer e beber, mesmo que não se sinta necessidade, rever a adequação da marcha de forma regular e, se necessário, encurtar a viagem, não dar passeios longos ou difíceis só quando se carece de experiência, vestir algo mais quente quando se para e não correr riscos. A ‘European Ramblers Association’ considera que os caminhantes não devem sair dos caminhos, têm que respeitar o meio ambiente que se atravessa, fechar as cancelas e portas depois de passar, não levar nada da natureza, não acender fogo e passar a uma distância de entre 20 e 50 metros, quando você ganhou.
Ter conhecimentos básicos em caso de acidente: se há algum tipo de acidente, aconselha-se a afastar o ferido e o resto do grupo, do ponto de perigo, para manter o acidentado quente e confortável e chamar os serviços de emergência (112 ou um específico de montanha, como a Guarda Civil ou o Corpo de Bombeiros autónomos).