Cinco chaves para escolher um bom treinador pessoal

Faz tempo que quiser incluir um logotipo da sua maneira, mas não sabe por onde começar, não encontrar motivação suficiente ou, apesar dos esforços notas não apenas resultados. Um personal trainer pode ajudar você a melhorar seu desempenho e a comprometer-se com seus objetivos, mas, como escolher o mais adequado? Estas são algumas chaves para ter em conta.
1. Com formação e experiência
Existem dois tipos de ensinamentos desportivas, as postas (universidade, formação profissional ou certificado oficial de profissionalismo) e as que não postas. As primeiras dão-nos a garantia de que o treinador conta com os conhecimentos suficientes para exercer a sua profissão. Há que ter especial cuidado neste ponto, já que existem cursos não homologados de dias ou até mesmo horas, que são logicamente insuficientes.
Por outra parte, que tenha uma titulação oficial é apenas o começo, já que um bom treinador, preocupa-se por dar continuidade à sua formação, mantendo-a sempre atualizada, e, estando ao dia de novas descobertas, técnicas ou exercícios, algo que complementa e aperfeiçoa ainda mais com a experiência. Como em qualquer outra atividade, com mais anos de prática, os melhores resultados.

2. Que tenha referências
Pode ser a recomendação de um amigo, de um familiar ou até mesmo um médico, contar com alguma referência que endossa a trajetória do treinador é sempre um ponto a favor, que nos dá confiança. Outra possibilidade, se não temos ninguém por perto que nos possa aconselhar, é que existe uma empresa por trás que o apoie ou que nos permita conhecer a opinião de alguns de seus clientes.
3. Centrado na saúde
Os motivos para fazer desporto podem ser muito diversos, de bem-estar, estética, emagrecimento, reduzir o stress… Em qualquer caso, além de se focar em nossas metas, o personal trainer deve ter em conta o nosso nível físico inicial e qual é o nosso estado de saúde, pelo que se nos recomenda um exame médico antes de começar, é um bom sinal.

Dar prioridade para a saúde também está relacionado com marcar-nos objectivos realistas, escolher os exercícios mais adequados para o nosso estado físico, nos ensinar como executá-los corretamente para evitar lesões, e não prometernos resultados muito rápidos ou milagrosos, já que estar em forma é necessário tempo e esforço.
4. Mais do que feeling
Não é imprescindível, mas sempre é recomendável que o personal trainer que você escolher, esteja especializado naquilo que lhe interessa trabalhar, bem como que se ouça e entenda a bem de seus interesses, para tirar o melhor de ti.
Vai passar várias horas juntos, por que o sentimento e se sentir à vontade, também é muito importante, mas não é o único, qualidades como a bondade, a paciência, a capacidade de motivar, empatia, profissionalismo e sinceridade, são valores essenciais que te impulsionarão para continuar fazendo esporte e superar-se mais a cada dia.
5. Que se adapte às suas necessidades
Dependendo de nosso tempo livre, nossos gostos, nossa idade, ou até mesmo o nosso local de residência, pode ir melhor um treinador que se desloque ao domicílio, que nos atenda em ginásio ou centro de bem-estar, que nos acompanhe a treinar ao ar livre ou até mesmo nos atenda online, através do telefone, chat e vídeo consulta.
Quanto mais se adapte às nossas necessidades em relação à mídia, disponibilidade e periodicidade, mais fácil será cumprir com nosso treinamento. Este, além disso, deve ser individualizado, de forma que saibamos de antemão qual é o plano a seguir para que possamos resolver dúvidas ou medos.
Um bom personal trainer não só nos ajudará a melhorar a nossa condição física, também nos dará esse ponto de disciplina que às vezes não sabemos encontrar por nós mesmos, e nos transmite a paixão pelo esporte. A atividade física beneficia a nossa saúde e contar com este serviço de aconselhamento e motivação é uma boa alternativa para praticar exercício com regularidade.