Como ajudar um suicida

Você também pode gostar: Como saber se sou suicida
Passos a seguir:
1

Neste tipo de circunstâncias, você deve ser uma pessoa observadora diante das possíveis sinais que signifiquem algo realmente grave. Com especial atenção para as expressões de extremo pessimismo, porque serão essas as que lhe indiquem o estado de espírito de uma pessoa que já tentou o suicídio. Essa atitude negativa e derrotista é um dos sinais mais claros. Outra das possíveis sinais de que algo vai mal é se você percebe mudanças bruscas em sua conduta em relação a sua personalidade habitual, se sentir que está muito triste e abatido também são sinais preocupantes.

Neste tipo de situações a família e o ambiente mais próximo tem um papel muito importante fazendo de reforço da companhia. A pessoa não deve se sentir vigiada, nem encurralada, deve sentir-se acompanhado de uma maneira natural e não forçada.

Em MedicamentosClub damos-lhe algumas chaves para que reconheces um episódio depressivo maior.
2

Pode revelar-se eficaz também o apoio emocional para as pessoas que rodeiam o afetado. A família, amigos ou em ambiente mais próximo ao suicida tem sofrido muito com as consequências dessa decisão, e pode ser que tenham medo de que isso volte a ocorrer. Por isso, o apoio de um especialista para que os familiares levem esta situação, melhor pode ser uma boa ajuda para superar este estado de transe. Há que ter uma atitude positiva e confiante para ajudar um suicida a passar por todo este processo. E, além disso, há que ter empatia com a pessoa que tentou acabar com a sua vida, talvez não seja fácil, por isso é recomendável tentar compreender uma pessoa com ideias tão negativas sobre a existência.

Há alguns traços que caracterizam um suicida, por exemplo, essas pessoas sofrem de ansiedade e desespero intensa para resolver conflitos, sofrem muito exaustão mental, são incapazes de ver soluções para nada, graves problemas de sono, distúrbios do apetite e pouca concentração são apenas alguns dos traços que os definem. São pessoas que vêem o futuro incerto, e até mesmo muito trágico, se infravaloran constantemente e se sentem sempre sozinhos, antes de tudo, embora não seja verdade.
3

Aqui estão outras dicas importantes com os que conseguirá ajudar um suicida e fazer-lhe companhia neste período de sua vida.

É útil acompanhar ao interessado em atividades positivas que gosta de fazer na sua rotina, já que o desfrute pessoal traz bem-estar.
Pratique a escuta ativa perdendo o medo de falar do assunto claramente. Embora a privacidade é um tema importante a nível humano, quando uma pessoa diz a outra que voltou a ter pensamentos de suicídio, longe de salvar esse assunto em segredo absoluto, há que procurar ajuda e contar com o apoio dos familiares próximos.
Retirar da casa de todos aqueles elementos que possam constituir um risco de lesão. Os medicamentos têm que estar fora do escopo desta pessoa.

4

Para ajudar uma pessoa com tendência suicida é útil acompanhá-lo em atividades que lhe proporcionem um certo bem-estar. Estas atividades positivas são um verdadeiro escape da rotina e podem fazer com que se centre na delas. Para ajudar de uma forma eficaz e ser um verdadeiro apoio deve ser capaz de ouvir de forma activa, aberta e sem medo para falar do tema.

Se o interessado se comentou que voltou a pensar em suicídio como alternativa, não evite a conversa. Essa confissão deve ser acompanhada de uma escuta e de uma boa reflexão a respeito para desencorajá-lo. Recomenda-se também retirar qualquer elemento que possa constituir um perigo, e isso inclui desde medicamentos até objetos cortantes.

Neste vídeo de MedicamentosClub ajudamo-lo a saber se você é suicida.
5

Falar com outros indivíduos que passaram por uma situação semelhante e passaram também pode servir de ajuda. Em um momento de crise pessoal do paciente, evita tirar importância aos seus pensamentos, escúchale. Não preste o tema da conversa para si. Evita recorrer a frases tópicas do tipo “não acontece nada”, para relativizar a importância do que está sofrendo a outra pessoa.

Os pensamentos são muito importantes diante de uma tentativa de suicídio, porque o pensamento influencia o sentimento e este, reflete-se na ação. Por isso, em primeiro lugar, é importante agir sobre o modo de pensar, para tentar calar o mal-estar, já que, desta forma, também influencia positiva sobre o sentimento.

6

Outra forma de ajudar um suicida é conversar com outras pessoas que passaram pela mesma situação e que tenham conseguido superar tudo. São exemplos positivos que você pode usar essa pessoa como referência viável. Se você realmente quer ajudar essa pessoa evita remover importância aos seus sentimentos. Você deve ouvi-lo com atenção e não desviar a atenção para a sua vida. Não utilize frases tópicas que denotam a pouca importância que tem o sofrimento de outra pessoa.

Diante de uma tentativa de suicídio, os pensamentos são importantes porque influenciam o sentimento e, ao final, na futura ação. Por isso é muito importante atuar sobre a forma de pensar para silenciar esse mal estar interno e, assim, influenciar de forma positiva sobre os sentimentos.
7

Recursos de apoio perante o suicídio: existem alguns livros que podem ser um bom recurso de apoio, como por exemplo, o livro O suicídio, prevenção e gerenciamento, escrito por Óscar Pérez Barrero e por Dores Mosquera. No caso de pessoas que têm crenças religiosas também podem encontrar apoio em sua fé.

Os meios de comunicação também têm uma responsabilidade ética na hora de informar com respeito sobre este tema, por um lado, porque pode produzir o efeito de imitação, pelo que é necessário que tratem o assunto com cautela e tentando não dar informação sobre o meio utilizado pela pessoa. No entanto, não se deve cair no erro de tratar o suicídio como um tema tabu, já que silenciá-la não ajuda em nada, se o suicídio se torna um tabu, então, é impossível a sua prevenção.
8

E por último você pode recorrer a recursos de apoio que façam frente ao suicídio. Existe muita literatura a respeito, neste sentido certeza de que um psicólogo pode informar sobre um bom livro para ler sobre o assunto e aprender. Procure livros que tratem o suicídio de forma aberta e não como um tabu, porque a melhor forma de prevenir é através de uma completa e exaustiva compreensão de o que sente uma pessoa com tendências suicidas.
Este artigo é meramente informativo, em MedicamentosClub não temos autoridade para prescrever qualquer tratamento médico, nem fazer qualquer tipo de diagnóstico. Nós convidamos você a ir a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de doença ou mal-estar.
Se você deseja ler mais artigos parecidos a Como ajudar um suicida, recomendamos que entre na nossa categoria de Saúde mental.