Como deveriam ser todos os atletas que fazer testes de esforço?

Correr deixou de ser um esporte minoritário. Hoje em dia, mais de 3 milhões de pessoas praticam corrida de forma habitual em Portugal. O triplo do que há uma década. O ânimo de entrar em forma, melhorar o aspecto físico ou a superação pessoal são os argumentos que empurram diariamente a milhares de pessoas a amarrar os sapatos e percorrer ruas e parques. Um panorama ideal, se não fosse porque estamos falando de uma atividade física que, por seu nível de exigência, requer classificações médicas, como as provas de esforço para determinar se você pode correr sem riscos.
O que é uma prova de esforço
As provas de esforço, também chamadas ergometrías, consistem em exame onde o paciente realiza exercício físico (caminhar ou correr) sobre um tapete rolante ou bicicleta estática. O objetivo da prova é avaliar a resposta do coração durante o exercício, descartar se o paciente tem uma doença coronariana, ou conhecer a sua previsão no caso de ter sido diagnosticada anteriormente.
No caso de que o paciente sofra de uma doença coronariana, pode haver obstrução em uma artéria que impediria o fluxo normal de sangue para o coração. É possível que, em repouso, não sejam sintomas da obstrução porque o fluxo de sangue não é tão alto, por isso que no eletrocardiograma os valores sairão normais. No entanto, ao realizar uma atividade física, o fluxo de sangue aumenta, por isso, de haver obstrução em uma artéria, haverá um déficit do fluxo sanguíneo, que se refletia no eletrocardiograma.
Há muitas razões para que realizam testes de esforço: hipertensão arterial, insuficiência cardíaca, alterações do ritmo cardíaco. As pessoas saudáveis que foram submetidos a testes de esforço, o fazem como método de prevenção, embora este exame também diz qual é o limiar aeróbico e anaeróbico do paciente, bem como seu VO2máx (volume de oxigênio máximo).
Em que desporto é geralmente feito e em quais esportes é obrigatório

“Não há esportes de maior risco, é uma questão de esforço”, disse o presidente da Sociedade Espanhola de Medicina do Esporte (SEMED), Pedro Manonelles, em uma entrevista em que se perguntou sobre as mortes súbitas de atletas populares nos últimos tempos. Além de correr, alguns dos esportes com alto nível de exigência a que se refere são a caminhada, o ciclismo e o futebol, em resumo, esportes de resistência.
O que quer dizer é que aqueles que praticam desportos de resistência poderia evitar o pior dos cenários, com a realização de uma prova de esforço, pelo menos, uma vez por ano. Isto independentemente da distância ou o tempo em que estão fazendo a atividade em questão, já que a intensidade do exercício é outro fator importante, sobretudo, para a competição.
De fato, em algumas provas de competição é onde se exigem os exames médicos. As corridas de montanha e de ultradistancia incluíram estes exames como pré-requisito para a hora que o corredor confirmar a sua participação. É uma exigência que está a estudar levar para o resto de corridas populares, devido ao aumento do número de pessoas que ficam um dorsal sem ter passado antes pelo médico assistente.
No resto do espectro de actividades desportivas, como são os esportes de força, as provas de esforço não são obrigatórias, embora, como dissemos, são aconselháveis para saber a maneira em que o coração reage a o esforço físico, entre outros detalhes.
Por que todos os atletas devem fazer os testes de esforço

Cada vez se fala mais de provas de esforço, mas não realizam o maior número de corredores que se apresentam para corridas de longas distâncias, como a maratona. Um estudo recente de CinfaSalud revelou que três em cada quatro corredores não têm de fato nenhuma prova de esforço nem seguem um plano de treino programado.
Ao anterior, temos que acrescentar que a doença cardiovascular é a primeira causa de morte em Portugal, de acordo com a Sociedade Espanhola de Cardiologia (SEC). Além disso, como dissemos no início, estes exames lançam muitos mais dados que a detecção de doenças do coração. A quantidade de informações que traz esta prova que nos ajuda a melhorar o desempenho no esporte, já que nos dá pistas sobre os limites que temos que treinar e até mesmo os tempos em que podemos chegar a fazer na carreira.
Fotos | Unsplash Brian Erickson / Curtis MacNewton / Quino Ao