Como é possível que a cerveja sem álcool tenha álcool?

Precisaríamos de 1.380 piscinas olímpicas cheias de cerveja para fazer uma idéia de quanto se consome a bebida em Portugal. E não é de admirar, já que é uma das que mais pedem para a chegada de um bar, snack-bar ou restaurante.
No entanto, a busca de um estilo de vida saudável e o endurecimento das regras de circulação fizeram com que os consumidores escolham alternativas, como a cerveja sem álcool, mas como é possível que, ao dar uma olhada na rotulagem, vamos ver que sim leva álcool?
Quantidade de álcool que pode levar a cerveja sem álcool, de acordo com a legislação

Cada país tem a sua própria regulamentação para etiquetar cada tipo de cerveja. Em um estabelecimento, podemos encontrar a cerveja convencional, sem álcool e a 0,0. Estas duas últimas não são o mesmo, já que o volume de álcool que contém é diferente.
É considerada a cerveja sem álcool como aquela que tem uma quantidade menor do que 1 por 100 em volume de álcool. No âmbito da União Europeia, esses são os trechos de graduação alcohológica admitidos para cada tipo de cerveja:
Cerveja tradicional: o grau de álcool costuma estar entre 4,5% e 5,5%, embora seja verdade que você pode variar um pouco.
Cerveja sem álcool: o volume de álcool das marcas mais conhecidas oscila entre 0,6% e 0,9%.
Cerveja 0,0: aparentemente, não deveriam levar nada de álcool, mas a verdade é que sim: entre 0,01% e 0,07%.
Há que se perguntar por que não tiram todo o álcool da cerveja para que assim não tenha esta substância e a etiqueta não faça confusão. Vejamos o processo de fabricação desta bebida para saber como é possível que a cerveja sem álcool tenha o mínimo de álcool.
Como é feita a cerveja sem álcool

A cerveja é uma bebida produzida a partir de quatro ingredientes: água, cevada, lúpulo e fermento. O maior conteúdo desta bebida é a água, mas quanto maior graduação de álcool, menor quantidade de água contém a bebida.
Mas há cervejas em que se prescinde da cevada (é substituída por outras fontes de amido sacarificable), o fermento é um ingrediente imprescindível na elaboração da cerveja. Graças a ela, se dá o processo de fermentação alcoólica.
Sabendo que não se pode dispensar o ingrediente que faz com que a cerveja seja cerveja, e, além disso, contém álcool, é conveniente conhecer os métodos de fabricação de cerveja sem álcool.
Cada fabricante utiliza aquele que lhe permite eliminar essa substância, utilizando o menor número de recursos possíveis. Normalmente, os métodos para a fabricação de cerveja sem álcool são divididos em dois grupos:
Um processo em que se adapta a elaboração da cerveja, para limitar a quantidade de álcool obtido durante a fermentação.
Um processo em que se separa o álcool da cerveja uma vez elaborada.
No primeiro caso, a redução do álcool pode levar-se a cabo, interrompendo o processo de fermentação, antes que se complete. E é que, como nem todos os açúcares fermentar, o resultado é uma baixa quantidade de álcool.
Também se pode realizar a realizar a fermentação, a uma temperatura que não favoreça o desenvolvimento de fermento, para que este não produza álcool. O mal deste método é que o resultado não costuma ter muito sabor e em algumas ocasiões os aromas são pouco agradáveis.
Por isso, o segundo processo é melhor, porém mais caro, já que exige de maquinaria específica. A separação do álcool também pode dar de três maneiras:
Evaporando o álcool: sabe-se que o ponto de ebulição do etanol é a 78ºC em pressão atmosférica normal, enquanto que a água se evapora a 100 ºc. No entanto, em vez de colocar a cerveja a uma temperatura tão alta, esta varia para que não prejudique a qualidade da bebida.
Sendo sanado o álcool: é um processo complexo que utiliza maquinaria industrial para destilar o álcool no seu processo de evaporação, por sua vez, que recupera o aroma. É uma técnica cara, mas a cerveja não perde o seu sabor e aroma.
Por osmose reversa: este processo não é utilizado a temperatura, mas é-lhe aplicada uma pressão para que as moléculas de maior peso não passam através de uma membrana. Desta forma, o álcool é separado, sem que não afete outras características da cerveja.
Em conclusão, os processos para extrair o álcool da cerveja tradicional não são perfeitos, daí que haja diferentes tipos de formatura e que a legislação contemple. Temos de ser conscientes de que se o que queremos é não beber nada de álcool (como é o caso das grávidas) e nos manter hidratados, o melhor é optar por alternativas, como água, sucos, refrigerantes e até mesmo cóckteles sem álcool.