Como é possível que os idosos tenham stress com tanto tempo livre?

Frequentemente, ouvimos isso de “que vontade eu tenho de aposentar para ter todo o tempo para mim”. Mesmo que talvez você tenha pensado alguma vez. E é verdade que, quando somos maiores e deixamos de trabalhar, temos todo o tempo do mundo para se dedicar a aquilo de que gostamos.
Por outro lado, geralmente associamos o estresse no trabalho, já que as situações de ansiedade costumam produzir nesse ambiente: datas de entrega que lotam, reuniões que se sobrepõem, chamadas que não acabam… A maioria dessas situações acontecem no âmbito do trabalho. Por isso, para nós, é difícil imaginar como o estresse pode afetar também aos adultos. No entanto, eles também sofrem: estas são as situações de stress mais comuns em pessoas idosas.
O que é considerado estresse
E é que o stress pode não vir apenas do ambiente de trabalho. O estresse pode ter duas causas e vertentes: físicas e emocionais, e ambas podem ocorrer em qualquer idade, sendo que os adultos mais velhos especialmente vulneráveis a elas. Uma situação de doença, o fato de se preocupar com as finanças, preocupações familiares ou simplesmente causas físicas a que se vê submetido o nosso corpo (como a regulação de hormônios) podem provocar situações de stress e até mesmo acelerar o envelhecimento.
O estresse é uma resposta física de nosso organismo ante um estímulo específico. Este estímulo pode ser um agente externo (como a preocupação financeira) ou interno (como uma doença) que desencadeia uma resposta do nosso corpo: nos sentimos “em perigo”, o organismo não sabe manuseá-lo corretamente e aparece essa resposta inesperada e difícil de controlar.
Por que os idosos são mais vulneráveis a estas situações de stress? Isto se deve a que uma das coisas que ocorrem em nosso organismo quando envelhecemos é que perdemos a capacidade de enfrentar com êxito a situações inesperadas. Quando um adulto tem de enfrentar situações de estresse físico ou psicológico, seu organismo não responde tão bem como quando era mais jovem. Não só isso, mas que, além disso, o organismo de um adulto leva mais tempo para voltar ao normal uma vez que esse estímulo estressante desapareceu.

O que pode causar estresse em idosos
Situações desfavoráveis que podem acontecer no dia-a-dia
Durante a última fase da vida são muito mais frequentes as perdas para as que têm que lidar com os idosos. Também as doenças mais comuns nesta fase, podem ser motivo de situações de ansiedade. O fato de se isolar, de não saber gerir a solidão ou de deixar de ser autónomos e não poder se levantar por si mesmos são outras situações que podem desencadear episódios de stress perante os que o corpo pode responder com uma variedade de sintomas, desde problemas gastrointestinais e até úlceras, passando por taquicardias ou sensação de esgotamento.
Situações favoráveis e ocasiões especiais
Geralmente tendemos a relacionar os episódios de estresse com situações negativas, mas também os bons momentos, carregados de emoção ou de tensão, podem ser fonte de episódios de estresse. O casamento de um filho, o nascimento de um neto, uma grande reunião de família… São todas situações favoráveis, que não estão sujeitos a nenhum tipo de risco, mas que podem causar uma grande comoção nas pessoas mais velhas.
Nestas situações, tanto as positivas como as negativas, vão influenciar os adultos de forma diferente, dependendo do grau de emoção e de como afectam cada uma das pessoas.
Como podem gerir o stress dos idosos
Controlar o estresse é possível durante todas as fases da vida. Talvez o mais importante seja aprender a levar uma atitude positiva em todo o momento: as pessoas positivas gerem melhor o stress e têm uma vontade mais forte para viver, que as pessoas pessimistas.
Também manter o contato com amigos e familiares, e não isolar-se do meio, é importante que os adultos mais velhos. Em um dado momento, a família e os amigos podem atuar como um apoio, em situações de estresse e podem ajudar como podemos lidar com elas melhor.
Por último, o exercício físico é uma das melhores maneiras de manter positivos e de ser capazes de lidar com as situações de stress que nos colocar diante. A atividade física diária, como passeios ou caminhadas e o movimento em geral, acompanhada de exercício físico, seja no ginásio ou, por exemplo, na piscina, gera endorfinas que nos ajudam a manter uma atitude positiva, retardam o envelhecimento e ajudam a manter-nos fortes e independentes.