Como evitar danos oculares na noite de São João?

A chegada do verão se cumprimenta com celebrações populares em que os fogos de artifício e fogos de artifício têm muito destaque. É o caso da festa de São João, que se comemora a 23 de junho e marca o início do período de verão. As queimaduras na córnea são o motivo de consulta aos serviços de urgência mais comum durante essas noites festivas. De fato, de acordo com os dados do Serviço de Oftalmologia do Hospital Sanitas CIMA, representam 25% do total de visitas oftalmológica urgentes que são respondidas na Noite de São João. E, deles, até 75% estão relacionados com a atenção urgente para menores de idade.
Além da queimadura, o trauma ocular por impacto de algum componente do traque é a segunda causa de dano no olho mais frequente. A sua causa está na manipulação incorreta dos fogos de artifício.
A velocidade com que entram no olho, estes fragmentos incandescentes é tão elevada que não nos dá tempo para fechá-lo: entra em contato com a córnea de forma imediata. O fragmento pode ser incorporado na córnea ou abaixo da pálpebra e pode provocar lesões de diferente gravidade que podem causar, até mesmo, perda de visão. Diante destas situações é fundamental que o interessado dirija-se de imediato a um serviço de emergência oftalmológica e que atue de forma adequada para evitar possíveis novas lesões oculares.

O que fazer?
Para evitar aumentar o alcance da lesão, é importante não esfregar os olhos, aplicar soro fisiológico, ocluir o olho afetado com gaze e esparadrapo e dirigir-se imediatamente ao serviço de urgência oftalmológica.
Há diferentes modos de reagir em função da lesão sofrida:
Em caso de ferida aberta na área externa do olho, devemos pressionar ligeiramente para conter a hemorragia, limpar a área com soro fisiológico, aplicar compressas limpas e frias, procurando manter a cabeça erguida, e levar o paciente ao serviço de emergência oftalmológica para proceder à cura e sutura em caso necessário.
No caso de pequenas escoriações por entrada de corpo estranho, como seja o fumo, pólvora ou restos de material pirotécnico, a primeira coisa que se deve fazer é lavar abundantemente o olho com soro fisiológico ou água, sem pressioná-lo, para tentar eliminar a partícula e levar o paciente ao serviço de emergência oftalmológica para verificar que não existem restos ou lesões oculares.
Em caso de impacto direto no olho, taparlo com uma compressa limpa e ir o mais rápido possível ao serviço de urgências oftalmológicas, avisando por telefone previamente, se possível, para que a equipe cirúrgica esteja preparado para receber o paciente.
Manuseio de fogos de artifício com segurança
A maior parte dos acidentes que atendem a cada ano são evitáveis se leva a cabo uma correta manipulação dos fogos de artifício, de acordo com as instruções do fabricante e as recomendações de segurança dos órgãos públicos. É muito importante respeitar as idades exigidas para manipular cada categoria roupa e o uso de óculos protetores contribuiria para reduzir significativamente a incidência desses acidentes.