Como identificar o daltonismo

De acordo com os especialistas, 1 de cada 10 crianças sofre de daltonismo. Embora geralmente os daltónicos nascem assim, é um problema difícil de detectar na infância. Mas parece que o número é muito elevado, é possível que um daltônico possa sê-lo sem se dar conta, já que existem variantes do transtorno e também diferentes intensidades, de forma que nenhum daltônico vê exatamente a mesma que o outro.
O que é o daltonismo
O daltonismo é uma deficiência ou cegueira de cor que impede de ver as cores de maneira adequada. É um problema que dificulta que a pessoa que sofre de distinguir determinadas cores. Este problema se deve à falta ou ao mau funcionamento de um ou vários dos cones da retina, as células capazes de captar a cor.
Existem três tipos de cones, cada um dos quais capta as cores vermelho, azul e verde e suas diferentes intensidades, graças às quais é possível distinguir todas as cores que fazem parte do espectro de luz visível. Geralmente, o daltonismo afeta ambos os olhos por igual e se mantém estável ao longo da vida, embora haja diferentes graus de daltonismo.
Por exemplo: em um daltonismo severo, há ausência dos três cones, enquanto em um daltonismo leve se podem detectar as cores, apesar de serem percebidas de forma diferente, já que algumas das células cônicas não funcionar corretamente. Alguns daltónicos com deficiência leve de cor podem ver as cores de forma adequada, com boa luz, mas têm dificuldades quando a luz é fraca. Em outros casos, não é possível distinguir certas cores de nenhum modo. A forma mais grave de daltonismo, no qual tudo parece em tons de cinza, é pouco comum.
Existem também vários tipos de daltonismo, que são os seguintes:
Dicromatismo: neste tipo de daltonismo falta um tipo de cone, o que provoca dificuldade para distinguir entre o vermelho e o verde, ou entre o azul e o amarelo.
Tricromatismo anormal: Esta forma de daltonismo tem efeitos semelhantes, embora mais leves. Neste caso, o daltônico apresenta os três tipos de cones, mas existe alguma deficiência ou mau funcionamento que impede um funcionamento totalmente normal.
Acromatopsia: É o caso mais grave de daltonismo e faz com que o indivíduo que sofre o veja tudo de cor em uma escala de tons de cinza.
Causas do daltonismo
O daltonismo é um distúrbio de origem genética. Trata-Se de uma doença de herança ligada ao sexo, já que o gene afetado encontra-se em um dos cromossomos sexuais (o ser humano tem 46 pares de cromossomos, dos quais 22 pares são cromossomo e um par é sexual).
Neste caso, trata-se de um gene recessivo ligado ao cromossomo X. isto É, os homens que herda um cromossoma X com o gene defeituoso padecerão o transtorno. As mulheres, em contrapartida, só o serão se ambos os cromossomos apresentam o gene (o que é bastante improvável, já que exige que os dois progenitores portasen tal gene).
Isto explica que os casos de daltonismo em mulheres sejam pouco frequentes (0,5% das mulheres), enquanto que cerca de 1 em cada 10 homens presente alguma das formas de daltonismo.
Como detectar
Geralmente o daltonismo é uma condição com a qual se nasce, mas também pode ser adquirido ou se desenvolver com o passar do tempo. As mudanças na percepção visual das cores podem significar que existe um problema de daltonismo.
Muitas vezes, as crianças que sofrem de daltonismo não sabem que o têm, já que a maneira que eles percebem as cores foi a única forma que têm teve de vê-los. Se observarmos que durante o jogo confundem os objectos azuis ou verdes ou vermelhos e verdes, pode ser um indicativo a ter em conta.

Também é frequente que os pais e professores a detectar o problema quando o pequeno joga com pinturas e ao desenhar confunde as cores ou pinta objetos em cores que não deve mesmo ser-lhe especificar a cor com o que ele deve ou desenhar cada um deles.
Sintomas que nos alertam de um problema de daltonismo em crianças
Os sintomas de daltonismo podem variar de leves a graves. Muitas crianças têm sintomas tão leves que não são conscientes de que têm uma deficiência de cor. Os pais somente podem notar um problema em seus filhos quando estes já estão aprendendo as cores.
Os sintomas incluem:
Dificuldade para ver as cores e brilho de forma correta.
Incapacidade para diferenciar entre os diferentes tons de uma cor, ou outros semelhantes, especialmente o vermelho e o verde ou o azul e o amarelo.
Geralmente, o daltonismo não afeta a nitidez da visão. No entanto, a forma mais grave de daltonismo ou acromatopsia pode apresentar outros sintomas como:
Incapacidade absoluta de ver e diferenciar qualquer cor.
Olho preguiçoso ou ambliopia.
Movimento involuntário e rápido dos olhos ou nistagmo.
Sensibilidade à luz.
Dificuldades para ver correctamente ou baixa visão.
Em que consistem os testes
O oftalmologista pode realizar um teste muito simples para determinar se a criança tem daltonismo, sempre e quando este já conheça e seja capaz de nomear cores e formas simples. A prova consiste em mostrar um padrão composto de múltiplos pontos de cor.
Se o pequeno não tem uma deficiência de cor, você poderá identificar as formas entre os pontos. Se, em vez, é daltônico, será difícil encontrar as opções dentro do padrão ou, simplesmente, não pode identificá-las.

As formas adquiridas de daltonismo podem ser tratadas identificando a doença ou droga que causa. Em contrapartida, não existe tratamento para o daltonismo de nascimento. No entanto, existem lentes de contato e óculos especiais para daltónicos que, embora não corrijam o problema, podem ajudá-los a distinguir as diferenças entre as cores.
De qualquer forma, salvo no seu tipo mais grave, o daltonismo não causa uma deficiência importante e não tem que afetar o desenvolvimento e o aprendizado da criança.