Como não negligenciar os hábitos de higiene oral no trabalho

Assim o considerar um mais de um terço dos espanhóis, que negligenciam a sua rotina de cuidados no ambiente de trabalho, segundo a nova edição do Estudo Sanitas de Saúde Oral.
Entre os motivos que se destacam para não levar a cabo uma adequada rotina de higiene oral destacam-se a falta de hábito, para quase a metade dos espanhóis a ausência de instalações adequadas e o pouco tempo para 1 em cada 3 portugueses.

A maioria dos espanhóis manifesta que a sua atividade de trabalho não tem impacto sobre a sua saúde oral, sete de cada 10 entrevistados afirma que seu trabalho não tem consequências na forma de patologia oral. No entanto, as pessoas que consideram que o seu trabalho sim afeta a sua saúde oral (um, dois em cada 10 inquiridos) apontam o stress relacionado com o trabalho como principal motivo de doença oral.
Entre as diversas manifestações do stress na saúde oral está o bruxismo, ou seja, o ranger e apertar os dentes de forma inconsciente, principalmente ao dormir, mas há pessoas que sofrem também despertos. Isso provoca dor nos músculos da mastigação e desgaste e sensibilidade nas peças dentárias. Outra consequência são as disfunções da articulação temporomandíbular. A pressão que se realiza ao apertar os dentes faz com que os músculos se contraiam produzindo em muitos casos a dificuldade de abertura da mandíbula e dor.
Junto ao estresse, não cumprir com os hábitos de higiene oral no trabalho e a própria atividade de trabalho são os outros dois motivos que mais influenciam a saúde oral da população em ativo de acordo com manifesta, respectivamente, um terço dos entrevistados.

Promover a saúde oral no local de trabalho
No campo da saúde oral no ambiente de trabalho ainda caminho a percorrer. De acordo com dados do Estudo Sanitas de Saúde Oral 2016, sete de cada 10 exames médicos realizados no trabalho não incluem revisão oral.
Este tipo de exames não costuma incluir revisão dental, mas seria desejável que generalizaran, ao igual que as revisões oftalmológica e respiratórias. Deste modo se tornaria a conscientizar a população sobre a importância da prevenção, que passa por ir ao dentista pelo menos duas vezes ao ano.