Como te ajuda a fisioterapia esportiva após uma lesão

Praticamente todo mundo se machuca quando leva um certo tempo fazendo esporte, embora este seja a nível usuário e não competitivo: uma má técnica dos movimentos, uma sobrecarga ou um overtraining são situações frequentes que podem nos levar a uma possível patologia ou lesão. Não devemos esquecer que sempre que realizamos atividade física, estamos submetendo o nosso corpo a um alto nível de estresse, o qual pode jogar contra nós.
Sempre que sentir dor durante a prática esportiva é necessário que recorramos ao nosso médico para que você possa analisar por que ocorre e como resolver isso: estamos já muito longe daquele “no pain, no gain” (sem dor não há sucesso) que se promovia em academias há algumas décadas. Devemos ser conscientes de que a dor é um indicativo de que algo no organismo não vai bem: um sinal de aviso para que visitemos o médico e vamos colocar remédio o mais rápido possível.

Quando devemos ir ao fisioterapeuta?
Se somos pessoas atletas, ir ao fisioterapeuta regularmente, uma vez por mês, pode ajudar a prevenir possíveis lesões. Trata-Se não apenas de ir quando já estivermos lesionados, mas de evitar essas possíveis patologias que podemos sofrer através da prática esportiva. Uma das tarefas mais importantes do fisioterapeuta é a da prevenção, e respondendo à sua pergunta regularmente facilitará muito o seu trabalho.

Ao recorrer quando ainda não estamos lesionados podemos aproveitar também os conhecidos como “massagem de download”: uma maneira de ajudar a recuperação de nosso corpo após acumular muitas horas de atividade física mais ou menos intensa. Um bom exemplo é o dos corredores: a maioria optam por recorrer ao fisioterapeuta uma vez ao mês (ou a cada semana no caso de atletas de elite) para ajudá-los a relaxar as pernas (que levam a maioria do trabalho na hora de correr) e a zona lombar se está sobrecarregado. Outra opção é recorrer a consulta, depois de uma corrida ou após um treino muito intenso.
Por último, obviamente, teremos de recorrer ao fisioterapeuta quando já estivermos lesionados. As patologias musculares, como os entorses, problemas de tendões ou contraturas, muito frequentes nas pessoas atletas, podem ser tratadas na consulta do fisioterapeuta.
Quais são os métodos utilizados na consulta de fisioterapia?
O fisioterapeuta esportivo é um grande especialista em terapias manuais que fazem o profissional ideal para a hora de tratar nossos músculos através da massagem desportiva, massagem de recuperação, kinesioterapia ou terapia do movimento, massagem fascial, etc. Também pode ajudar-nos a recuperar de uma lesão (e, sobretudo, reduzir o tempo de recuperação da mesma) através de ligaduras funcionais e outras técnicas de bandagem como o kinesiotaping.
Outro tipo de terapia que podemos usar na consulta do fisioterapeuta são a hidroterapia (tratamento por meio de água), a termoterapia (tratamento através da aplicação de frio ou de calor, de acordo com a lesão e a área a ser tratada), a crioterapia (terapia através do frio) e eletroterapia (electroestimulação muscular controlada aplicada a uma área específica do corpo de forma local, por meio da qual conseguimos exercitar os músculos de forma passiva, melhorando assim a sua recuperação e mantendo a massa muscular).
Uma das terapias mais usadas nos últimos tempos é a da punção seca ou tratamento invasivo os pontos gatilho ou trigger points. Os pontos gatilho músculo-esqueléticas são esses lugares que costumamos sentir a dor de forma recursiva (quando dizemos que “somos ou sentimos como uma bola” em alguma parte do corpo) e que podem ser tratados tanto com terapias mais conservadoras (massagem manual) como através de outras mais inovadoras, como a punção seca. Através da punção seca são tocados agulhas sem introduzir nenhuma substância (por isso é “seca”) nesses pontos gatilho, gerando um pouco de dor no momento, mas sendo um tratamento muito eficaz para fazê-lo desaparecer a longo prazo.
É possível que você queira nosso post sobre lesões e infiltrações.