Conselhos para que não se queime com o sol

Bronzear-se do corpo e olhar moreno é uma das obsessões de muitas das pessoas que enchem as piscinas e praias de Portugal durante o verão. É indubitável que o sol é fonte de energia e saúde, mas tomado em excesso é prejudicial. Com o fim de evitar os principais riscos associados a uma exposição solar prolongada, como o câncer de pele ou envelhecimento prematuro, devemos proteger a nossa pele de maneira correta e com responsabilidade.

Oferecemos uma série de dicas para não sofrer queimaduras do sol, mas lembre-se que a defesa mais eficaz é a moderação:
Use um creme de proteção solar adequada. Escolha a que melhor se adapte às características da sua pele e às condições de exposição solar. É recomendado sempre escolher uma elevada proteção (FPS 30) ou muito alta (FPS 50 ). Aplícatela meia hora antes de tomar o sol e repita esta operação a cada 2 ou 3 horas, assim como depois de sair da água.
Exponte ao sol de forma progressiva. Não caia na tentação de passar muito tempo sob os raios solares em busca do bronzeado. As primeiras exposições devem ser feitos de forma gradual, em períodos de 10, 15 e 20 minutos, e, de preferência, em movimento. Não é recomendável mais de meia hora por dia de exposição direta. Além disso, devemos evitar fazê-lo entre as 12.00 e as 16.00 horas, que é quando a luz ultravioleta é mais intensa.
Extrema precaução com os menores de 3 anos. Em bebês e crianças menores de 3 anos, limita a exposição solar no início da manhã ou no final da tarde. E o teu creme de alta proteção a partir dos seis meses, a fim de preservar o seu capital solar. Lembre-se que a pele, conserva a memória das radiações recebidas durante toda a vida. Quanto maior a dose de radiação acumulada, maior é o risco de aparecimento de câncer na idade adulta.

Não confie nos dias nublados. A radiação ultravioleta atravessa as nuvens, de modo que os cremes de proteção solar devem ser usados também nos dias em que o céu está coberto. Além disso, deve ter em conta a reflexão da radiação UV, por parte da água, a areia, a grama e, especialmente, a neve. São importantes tanto a radiação solar direta, como a chamada radiação difusa, refletida pelo solo.
Usa óculos e outras proteções físicas. Óculos de sol adequadas são essenciais para proteger os olhos da radiação solar. Certifique-se de que levam vidros homologados capazes de filtrar os raios UVA e UVB. O uso de bonés e chapéus também irá ajudá-lo a resguardá-lo do sol. Existem, além disso, roupas com filtros de proteção solar para crianças e adultos, e para realizar esportes aquáticos prolongados. Quanto ao guarda-sóis, não protegem totalmente os perigos do sol, sua tela não é um filtro UV. A guarda sustento de 35% da radiação solar, e pode gerar o efeito contrário ao desejado se, sob a mesma, alonga-se a exposição.
Sécate bem depois de cada banho. O efeito lupa de gotas de água favorece as queimaduras solares e diminui a eficácia dos protetores, embora esses sejam resistentes à água.
Acalma a pele após a exposição solar. A pele sofre no verão devido à deterioração que ocorre o sol, as altas temperaturas e a consequente perda de água. Para compensar este efeito nocivo, é muito importante depois de tomar o sol recorrer a um bom produto aftersun que seja a vez calmante, suavizante, hidratante, anti-inflamatório e regenerador.
Examina sua pele. Se adviertes que uma sarda ou lua muda de forma, tamanho ou cor, não hesite em recorrer e consultar seu dermatologista.