Cuidado com o óleo de palma: está em mais alimentos do que pensa

Encontrar umas bolachas no supermercado que não contenham óleo de palma é quase uma missão impossível. Mas não só lá. Também é difícil não vê-lo entre os ingredientes de cereais, snacks, refeições preparadas… Este óleo vegetal está presente em uma longa lista de produtos da nossa cesta de compra, desde alimentos e cosméticos até produtos de limpeza e biocombustíveis. Qual é o problema? É possível que o seu consumo tenha efeitos negativos para a saúde.
O que é o óleo de palma
Trata-Se de um óleo vegetal obtido do fruto da palma da mão, uma espécie tropical que é cultivado principalmente na Indonésia e na Malásia (85 por cento da produção mundial), e criticado por provocar danos ambientais, como desmatamento por plantações de florestas tropicais e aumento de CO2 na atmosfera por essa mudança do uso do solo. Brasil, México, Colômbia, Camboja, Tailândia e Papua-Nova Guiné são outros países produtores de palma africana (‘Elaeis guineensis’).
Segundo o Instituto Internacional de Desenvolvimento Sustentável, mais de 60% do óleo de palma é usada na Europa para alimentação, cosmética e de acordo com dados da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômicos (OCDE), na União Europeia, cada pessoa consome uma média anual de 59 kg de óleo de palma entre alimentação e produtos de higiene pessoal.
Seu uso está se tornando cada vez mais comum, entre outros motivos, pelo seu baixo custo: em janeiro de 2017 estava em 726 dólares no mercado internacional frente a 4.018 dólares, a cotação do óleo de oliva. Mas sua cremosidade, capacidade de suportar altas temperaturas antes de derreter e maior tempo necessário para ficar rançoso são outras características que fizeram com que esteja amplamente difundido em os itens alimentares.
Produtos que contêm
A nossa lista de compras é muito reduzida se tachamos de ela os produtos que contêm o óleo de palma. Além de biocombustíveis, produtos de limpeza, cosméticos e velas, torna-se especialmente atraente o elevado número de artigos comestíveis que o contêm. De acordo com o projeto jornalístico Carro de Combate, este óleo vegetal está presente em:
Biscoitos: Fontaneda, A Boa Maria, Oreo, Príncipe, Campurrianas, Maria Cuétara, Napolitanas e Tuc
Cereais: Froot loops, All bran, Choco pops, Smacks, Cereais Nesquik, Chocapic, Golden Graham, Estrelinhas e cereais, que levam, em muitos países, palmitato de retinol, que costuma proceder do óleo de palma, como a kellogg’s Corn Flakes, Choco Krispis ou Special K Original.
Tortas, bolos e coberturas para sobremesas: Sobaos Martínez, Conchas de chocolate Codan, Donuts, A Bela Easo e Weikis.
Snacks: Ruffles, Doritos, Fritos de Matutano e Triskys.
Pratos prontos: Esparguete bolognesa Findus, Fetuccini 4 queijos Findus, Pizzas Dr. Oetker de atum, prosciutto e funghi, Nuggets A Cozinheira, Cordon bleu, A Cozinheira, São jacobos A Cozinheira, Bolinhos de atum A Cozinheira, Cremes Knorr de pregos e de marisco gourmet.
Margarina: Flora e Tulipa.
Chocolates: Ferrero Rocher, Kinder bueno, Kinder surpresa, Happy hippo, Chocolates Lindt, M