Dez dicas para minimizar os efeitos da mudança de hora

Muda o horário da luz solar e isto é um fator-chave para o nosso descanso noturno. Como anochecerá antes, é possível que nos dias seguintes ao fim-de-semana experienciar uma maior sonolência a horas adiantadas. E, além disso, como amanecerá antes, é possível que acordemos de forma espontânea, antes de nossa hora habitual.

O principal impacto da mudança de horário sobre as pessoas está relacionado sobre seu estado de ânimo. Não existe evidência de que o nosso sistema imunológico prejuízo. É verdade que o nosso sistema neuroendocrino, controlador de produção hormonal, ativa a produção de alguns hormônios durante o sono, mas a mudança de horário não é tão significativo como para justificar nenhum impacto sobre as nossas defesas, no entanto, o estado de ânimo é mais sensível a mudanças climáticas, ambientais ou contextuais. A mudança de hora gera interferências tanto em nossos hábitos e rotinas, como em nossa percepção do cansaço, até mesmo sensação de falta de tempo.
As pessoas com patologias do sono ou distúrbios psicológicos de base, como ansiedade, são mais propensas a notar a mudança de horário. “As crianças, os adultos e até mesmo idosos saudáveis não têm por que notar nenhum transtorno, mas é verdade que as pessoas idosas em geral, têm mais dificuldade para conciliar o sono noturno”, “Em pessoas com distúrbios psicológicos podem aparecer alguns sintomas como stress, embotamento afetivo, apatia ou até irritabilidade. No entanto, o resto de pessoas podem não experimentar nenhuma mudança significativa.
Em qualquer caso, tenha ou não algum distúrbio do sono, aplique as dicas básicas de higiene do sono para garantir que a transição para o horário de inverno se realiza placidamente.
Em primeiro lugar, é muito importante manter um horário regular, tanto na hora de deitar-se e levantar-se.
Cada pessoa tem necessidades diferentes durante o sono, mas o normal é que as 8 horas de sono basten para garantir um descanso adequado. Não esteja na cama mais horas.
Evite as bebidas excitantes, a partir das 16.00 horas. E não apenas café, mas também qualquer bebida que contenha cafeína e teína.
Evita o sedentarismo: fazer exercício de forma regular, não só contribui para que esteja em forma e te faz sentir melhor, se não, que ajuda a relaxar e descarregar as tensões.
As comidas e os jantares abundantes, são incompatíveis com um descanso adequado. Se você quiser dormir bem, evítalas.
O consumo de tabaco também pode dificultar a conciliação do sono, assim como influenciar a função respiratória, acrescentando complicações e até mesmo derivando em patologias como a apneia do sono.
Faze o bem a digestão após a janta, deixa-se passar pelo menos 2 horas antes de ir dormir.
Evitar as sonecas prolongadas, especialmente no caso de idosos, mais vulneráveis a esta prática, para que não influa no seu descanso noturno.
Cuida da higiene do sono: mantém os quartos limpos, ventilados e ordenados.
Por último, há que evitar comportamentos como ver televisão na cama ou dispositivos eletrônicos, como tablets ou dispositivos móveis, pois também podem afetar a qualidade do seu descanso.
Recomenda-Se prever as possíveis interferências do câmbio horário que o planejamento das cinco refeições que aconselham os especialistas em nutrição e que erradiquem a alteração de seus ritmos vitais acostumbrándose a um horário regular durante todo o ano e mantendo um bom nível de exposição à luz solar. Em pessoas mais vulneráveis, com sintomas depressivos ou de estresse, seria recomendável se adaptar à mudança de horário, com alterações graduais.