Dicas para evitar a cistite

A cistite é o termo médico usado para descrever a inflamação aguda da bexiga. Na maioria dos casos, a causa mais comum é uma infecção causada pela bactéria Escherichia Coli, denominada Infecção do Trato Urinário (ITU), que pode ser dolorosa e irritante, e se tornar um problema de saúde sério, se a infecção se espalhar para os rins.
Mas também afeta os homens, se dá sobretudo entre as mulheres. E isso se deve principalmente a uma questão puramente anatômica: as mulheres têm uma uretra mais curta, o que reduz a distância que devem percorrer as bactérias para alcançar a bexiga.
Normalmente, os primeiros sintomas de alarme são uma necessidade urgente e frequente de urinar, coceira ou ardor ao urinar, “tenesmo”, ou a sensação de não ter terminado de fazer xixi, “enquanto” ou sangue na urina, assim como dor hipogástrico ou na zona da bexiga. A coceira não costuma dar-se neste tipo de doenças, e sim está relacionado com as infecções vaginais. Em qualquer caso, os especialistas destacam a importância de ir ao médico o mais mínimo indício.
Quanto ao tratamento, o mais freqüente para a cistite bacteriana, a mais comum, consiste na prescrição de antibióticos. O ideal é que seja de curta duração, porque se os antibióticos são utilizados mal podem destruir a flora que nos defende de outras infecções. Por isso, é importante que se cumpra o tratamento à risca e não se abandone antes de tempo, para evitar resistências e anos posteriores.
Mas antes de ter que tomar antibióticos, podem-se adotar algumas precauções que ajudam a prevenir a cistite:
Urinar
Pode parecer óbvio, mas você tem que urinar com frequência. Deve-Se ir ao banheiro a cada duas ou três horas no máximo. A razão é que as bactérias tendem a proliferar quando a urina que permanece na bexiga. Além disso, o ato de expelir a urina limpa o trato urinário.
Por isso, os especialistas recomendam fazer xixi antes e depois de manter relações sexuais, já que podem favorecer a passagem de bactérias do trato intestinal, o aparelho urinário. Além disso, beber 1,5 litros de água por dia ajudá-lo, além de ter a vontade de urinar, a arrastar as bactérias aderidas ao trato urinário.
Atenção para a higiene íntima
A higiene íntima pode ser contraproducente, não só por omissão, mas também por excesso. Assim, é recomendável o uso de sabão, uma única vez ao dia e usar produtos específicos para a higiene da região íntima. Usar, por exemplo, o gel de banho da família pode alterar o pH das paredes vaginais, o que facilita a proliferação de bactérias.
Quando se vai ao banheiro, é muito importante lavar-se e secar-se sempre de frente para trás, porque caso contrário, se transmitem as bactérias do ânus para a vagina, que colonizam, deste modo, a uretra e causar a infecção.
Para o dia-a-dia, é sempre melhor tomar banho que se banhar. O motivo é que a água do chuveiro flui de forma constante, arrastando-se, assim, as possíveis bactérias da banheira. Neste sentido, não são aconselháveis as duchas vaginais porque uma entrada direta de água na zona não implica uma limpeza melhor e pode traduzir-se numa alteração do pH da região íntima.

Evitar a umidade e mudanças de temperatura
Além disso, é recomendado usar roupa interior de algodão. As peças de tecidos naturais favorecem a transpiração e evita a umidade, ninho de cultivo de bactérias. Também há que sacrificar as peças ajustadas, que podem provocar um aumento da temperatura e da umidade na área. Para isso contribui também o uso diário de protecções absorventes para cuecas, que limitam a transpiração da pele. Também não se deve ficar muito tempo com a roupa de banho molhada.
Evitar a prisão de ventre
Embora possa não parecer, a prisão de ventre favorece o aparecimento de cistite. E é o que impede a expulsão de bactérias e germes próximos à bexiga, que podem colonizar o trato urinário e causar infecção.
Tomar mirtilos
De acordo com diversos estudos científicos, o extrato de mirtilos, que se vende nas farmácias em diferentes formatos e apresentações, evita que as bactérias se fixem às paredes das vias urinárias, o que faz com que possam ser removidas de forma simples, ajudando, portanto, a evitar as infecções. Outro plus é que o extrato também incorpore vitamina C, já que faz com que a urina seja mais ácida e dificulta o crescimento bacteriano.
Fotos | iStock / Anetlanda / shironosov