Dicas para manter o cérebro jovem e reduzir o risco de mal de Alzheimer

Como já comentamos em outro post, as causas que provocam o mal de Alzheimer ainda são desconhecidas. Sim, são conhecidos alguns fatores que fazem com que o risco seja maior ou menor, mas se ignora qual é o desencadeante real, então, por agora, não há muito que se possa fazer para prevenir a doença completamente.
Agora bem, que não se possa prevenir não quer dizer que não se possa reduzir o risco de sofrer, ou atrasar um pouco sua aparência, e uma das maneiras de conseguir isso é manter o cérebro jovem, ativo, vivo e… aproveitar o seu potencial e exercê, mesmo quando já for maior, para que essa atividade ajuda a retardar qualquer sinal de demência.

12 dicas para manter o cérebro jovem
Faça exercício físico: pode parecer que isto não tem nada que ver com o cérebro, mas sim, há uma relação. O exercício físico aeróbico, como corrida ou ciclismo, fortalece o coração e melhora o fluxo sanguíneo para o cérebro. Já existem estudos que mostram a relação entre o gasto cardíaco e o mal de Alzheimer, que mostram que, quando o coração está saudável, o cérebro também (ou pelo menos não se vê prejudicado por um fluxo menor do que o recomendado).
Pegue frutas e legumes, mesmo em suco: um estudo publicado no ano de 2006 mostrou que as pessoas que tomam sucos de fruta e verduras, alimentos ricos em polifenóis (antioxidantes), que podem reduzir o risco de doença de Alzheimer em até 76%.
Estude, faça cursos: quando um fala de universitários pensa em gente jovem, tentando construir um futuro. No entanto, cada vez mais pessoas, maior acesso às universidades por prazer, pelo prazer de aprender, de cultivar a sua mente, de saber mais. Se não na universidade, e sim em outros centros formais, mas fazer cursos, estudar, é uma boa forma de estimular o aprendizado, remando para o lado contrário ao que o mal de Alzheimer faria.
Aumenta os níveis de vitamina K: come peixe, espinafre, carne, ovos, brócolis, acelga, couve de Bruxelas,…, que são alimentos ricos em vitamina K, cuja presença no corpo, em níveis adequados, parece proteger da doença.
Deixe de fumar: as pessoas que deixam de fumar reduz o risco de demência até o nível daqueles que nunca haviam fumado, assim, parece boa idéia para evitar o tabaco.
Sorri mais: o riso tem efeitos benéficos, porque uma pessoa que ri mais é mais positiva, sofre menos estresse e até cria novas conexões neurais, que ajudam a prevenir o mal de Alzheimer.
Evite golpes na cabeça: os socos na cabeça são acidentes, é verdade, mas podem ser evitadas se nós levamos o capacete quando vamos de bicicleta, ou se vamos fazer obras em casa, onde possa haver algum desprendimento, etc.
Dorme e descansa bem: o descanso é necessário para enfrentar os dias com boa atitude e de forma positiva, e para ajudar o cérebro a não sobrecarregada. Por contra as pessoas que não dormem o suficiente por falta de tempo ou por distúrbios do sono, têm um risco maior de sofrer de demência.
Medita cada dia: a cultura ocidental não é muito dado à meditação, falando de meditar no sentido mais oriental da palavra, com atividades como relaxamento, yoga, etc., A meditação reduz o stress e reduz os níveis de cortisol no cérebro (o hormônio do stress). Esta diminuição é positiva para prevenir ou retardar a doença.
Mantenha-se socialmente ativo: fica com os amigos ou amigas, saia com eles, fazei atividades juntos. Tudo o que implique fazer as coisas que te estimulem, que você gosta, será positivo.
Aprenda idiomas: uma forma de ativar o cérebro de forma intensa é aprender novos idiomas. Ampliar o nosso vocabulário, conhecer novas línguas, pode retardar o aparecimento da doença em até 4 anos.
Cuide dos seus netos, quando os tem, e se é algo que você gosta ou gosta de fazer. Um estudo realizado na Austrália, em 2014, mostrou que as pessoas que cuidam de seus netos têm menos risco de sofrer de demência, mas com moderação: se eles cuidassem durante 5 dias ou mais por semana, então, o resultado foi inverso, pois são desenvolvidas as funções cognitivas.
Leva uma vida ativa e saudável

Como vedes, não nos disse nada que a lógica não nos dissesse. Em resumo, trata-se de tentar levar uma vida ativa, saudável e feliz. Exercitar-se, dormir bem, fazer atividades estimulantes, comer bem, sem abusos (o açúcar, por exemplo, está muito presente em nossa dieta e é um fator de risco de diabetes, doença que aumenta o risco de doença de Alzheimer), não fumar, não beber e ter uma atitude positiva sempre que possível, rindo muito e curtindo tudo o que pudermos, nossa única vida.