E se em vez de cepillarme os dentes uso colutorio?

Absolutamente não. A resposta para a pergunta que encabeça este artigo está clara, atendendo aos conselhos dos dentistas espanhóis, que apostam no uso de colutorio como ferramenta complementar de um bom escovado, e que, além disso, trata-se de um produto que não tem por que ser usado diariamente, acima de tudo, dependendo do tipo de colutorio e das características de cada pessoa. Inclusive, há ocasiões em que envolve riscos.
O que é o colutorio?
Enxaguar a boca ou colutorios são um método auxiliar de escovação de dentes, assim como o são o fio dental ou escovas interdentais ou interproximais. Por isso, é recomendável para ampliar, aprofundar e melhorar a higiene bucal, mas desde que não substitua o escovado, mas que o complementa, porque pode ajudar a combater as cáries, reduzir a gengivite ou melhorar os problemas de halitose.
‘Quatro de cada dez espanhóis usam colutorio diariamente, de acordo com o ‘Livro Branco: Inquérito Populacional sobre a Saúde Oral em Portugal’, publicado em 2010. 62 por cento dos entrevistados tinha empregado enxágue bucal alguma vez. O emprego deste método complementar à escovagem tem crescido nos últimos 15 anos, passando de 16 por cento que o empregam de forma habitual em 1995 -quando o Coelho Geral de médicos Dentistas de Portugal publicou o primeiro Livro Branco – a 56 por cento em 2010.
No entanto, os autores destes análise sobre os hábitos de saúde oral entre os espanhóis consideram que se deve analisar mais cuidadosamente que tipo de colutorios estão sendo utilizados pela população portuguesa, porque “não é o mesmo que usar colutorios de flúor que utilizar de forma indevida e sem controle colutorios anti-sépticos”.
Assim, opte por informar sobre suas vantagens e limitações. “É fundamental transmitir a mensagem inequívoco da complementaridade deste método auxiliar, que nada pode substituir a escovação correta”, dizem os dentistas espanhóis entre as recomendações previstas em seu segundo Livro Branco.
Tipos de colutorios
Ainda se fabricam colutorios focados em diferentes problemas e com características diferentes -anticaries, dentes e gengivas sensíveis, halitose, anti-séptico, para crianças (possuem menos quantidade de flúor), sem álcool e branqueadores-, o importante na hora de escolhê-los, é de ter em conta as suas componentes, uma vez que alguns devem ser limitadas no tempo ou devem ser usadas de forma pautada por um profissional.
Por conter produtos químicos, mal uso ou abuso de enxaguar a boca pode desencadear problemas na boca, como manchas nos dentes ou desgaste do esmalte. Especial cuidado merece os colutorios que contêm clorexidina, já que seu uso prolongado pode tingir os dentes e as gengivas, além de alterar o sentido do gosto. Além disso, precisam ser usados de maneira adequada os colutorios compostos por hexitidina porque manifesta a dentadura.
Casos em que se recomenda a sua utilização
Os dentistas prescrevem ou recomendam o uso destes produtos, diante de situações como:
Antes de uma cirurgia periodontal: são úteis os colutorios com clorexidina e hexitidina pela sua acção anti-bacteriana, anti-séptica e antifúngica. Seu uso é muitas vezes pautarse com uma duração de cerca de duas semanas, com elixires diários de meio minuto.
Para doença das gengivas periodontite ou gingitivis: existem muitos no mercado indicados para este problema, como os que possuem povidona iodada, óleos essenciais, fenóis ou sais metálicos, embora estes últimos têm uma certa toxicidade.
Na gravidez: os dentistas apostam no uso diário de um colutorio fluorado as mulheres que sofrem de náuseas e vômitos.
Prevenir as cáries: são utilizados principalmente os que contêm flúor.
Lesões da mucosa oral: a clorexidina é benéfica para impedir danos na mucosa oral.
Que diferença existe com a escovar os dentes

A escova de dentes consegue arrastar os restos de comida e a placa bacteriana praticamente em sua totalidade, mas há outros sistemas que ajudam a eliminar tudo isso por completo, como o colutorio, além fio dental, escova interdental ou o limpador lingual. Para que a escova tenha efeito, há necessidade de dedicar tempo -o ideal são dois minutos – e realizá-lo de forma correta por todos os dentes, movendo a escova a partir da gengiva para a coroa do dente.
Por sua parte, o colutorio, por ser líquido, permite chegar a todos os cantos da boca, embora sua força de arraste de impurezas ou resíduos é mais fraca do que as cerdas de uma escova. Não obstante, depois de cuspir permanece um tempo na boca, assim que continua a lutar contra as cáries, mau hálito ou a placa bacteriana, entre outros possíveis problemas.
Melhor se combina o colutorio com escovar os dentes
Em resumo, a combinação perfeita é o uso de ambos, escovação e enxágüe bucal. A forma mais adequada de o fazer é escovar os dentes e depois enxaguar a boca de maneira enérgica com o colutorio, pelo menos, ou, acima de tudo, antes de se deitar. Além disso, é melhor não beber nem comer nada depois de utilizar o colutorio e, nem sequer, enxaguar a boca com água. Em geral, não são normalmente diluído em água, mas que se utilizam diretamente, tal como vêm na embalagem. Você pode fazer gargarejo com os elixires antes de escupirlos.