É verdade que as cáries podem dar mau hálito?

As bactérias produzem mau cheiro, porque, como todo ser vivo, eles se alimentam de substâncias e depois eliminam seus resíduos. Essas substâncias excretadas têm odores muito fortes, que são os causadores do mau hálito.
No caso da cárie, a bactéria da mesma é a esteroptococo mutans, que se alimenta da sacarose (açúcar), a lactose e frutose. A sacarose, além disso, favorece que a bactéria produz uma espécie de colagem denominado glucan, que lhe permite aderir ao dente.
Mau cheiro em um dente: possível causa de infecção
O mal cheiro ou gosto ruim da boca são claros sintomas de algum tipo de infecção, seja no interior da peça ou na gengiva. A infecção pode estar presente mesmo que aparentemente pareça que o dente em questão apresenta um aspecto normal e não tem nada.
Se é que a peça dental foi quebrado, o mau cheiro pode ser causado por entrar restos de comida que fermenta em seu interior. Mas também pode ser que a ruptura tenha chegado ao nervo do dente ou se está produzindo uma cárie e os tecidos em decomposição produzem esse mal cheiro ou sabor.
Mesmo que o dente não pareça exteriormente afetado, pode existir um espaço mínimo ou interdental que entre comida, causando esse mal cheiro. Em tal caso, a cárie pode ser encontrado no interior da peça dentária-a doença e é imprescindível visitar o dentista.

Como prevenir e tratar a cárie
Para prevenir a cárie recomenda-se limitar o consumo de hidratos de carbono simples (alimentos ricos em açúcares) e manter uma adequada higiene oral adequada. Para isso, é necessário escovar os dentes, no mínimo, duas vezes ao dia com creme dental com flúor.
Isto é especialmente importante durante as noites, já que ao ter a boca fechada e sem hidratar durante mais tempo que aumenta a temperatura e as bactérias proliferam. Além disso, recomenda-se a escovação várias vezes ao dia, principalmente a cada vez que come, já que o tempo que o açúcar se mantenha na boca é fundamental para a formação da cárie.
Por último, deve-se visitar o dentista para que atenda adequadamente as cáries já que é o único que pode curar limpiándolas e colocando um empaste ou uma reconstrução por exemplo. Ele identifica o estado do dente por meio da exploração e raio x do mesmo, se necessário.

Quando a cárie está só no esmalte o tratamento é simples, mas se as bactérias ultrapassam a camada de esmalte e penetram mais no dente, os seguintes tecidos, muito mais suaves do que o esmalte, serão destruídos, a maior velocidade e a cárie pode atingir a polpa e produzir uma verdadeira infecção (por isso se costuma dizer que é melhor ir ao dentista, à primeira suspeita, porque se você vai deixando, o pós-tratamento é mais complexo e mais caro).
O tratamento para eliminar a cárie tem duas fases: a eliminação da infecção e a reparação da peça dentária danificada. A restauração do dente poderia ser resolvido com a obturação dentária ou empaste, com uma coroa ou luva, se a cárie for muito grande, ou até mesmo com a remoção da peça, se esta é estar excessivamente danificado..