Estes são os alimentos que você deve evitar se você está grávida

Se bem que é provável que tenha estado a recolha de informação enquanto tentavas ficar grávida, o mais certo é também que, uma vez conseguido, não deixaram de surgir novas dúvidas relacionadas a partir com seus hábitos de vida e horas de sono, até com o tipo de alimentação que deve seguir.
Este último é uma questão fundamental, pois algumas refeições e bebidas podem acabar por não ser bons para o seu bebê. E não estamos nos referindo somente ao álcool, mas a outro tipo de ingredientes aparentemente inofensivos que você tem que saber. Hoje recolhemos alguns deles, assim como outros erros frequentes, o que não quer cometer.
Alimentos “proibidos” para grávidas

Na realidade, poucos são os alimentos proibidos para as grávidas. Na maioria dos casos, trata-se mais bem de ingredientes pouco recomendáveis ou que não podem ser consumidos de determinados modos. Não obstante, as bebidas alcoólicas se encontram totalmente vetadas, assim como os peixes, que podem conter mercúrio.
É o caso dos grandes peixes predadores que, além disso, tendem a viver mais tempo (durante o qual irão absorvendo maior quantidade deste composto). Entre eles está o tubarão, o peixe-espada, cavala e o blanquillo. Os especialistas também recomendam evitar o atum fresco ou congelado, robalo, carapau, marlin e mojarra. Por sorte, ainda temos um amplo leque de espécies.
Claro, você deve evitar tomar cru –assim que aparecer o sushi e os defumados-. Esta condição se estende ao marisco, os ovos e a carne, nada aconselhável não se é pouco feita, pois pode acabar contrair toxoplasmose. Prescinde também do fígado, pois este órgão, contém muita vitamina A, prejudicial para o embrião em excesso.
Além disso, há outra classe de alimentos que você pode comer com certo cuidado, como as tortas e os enchidos, assim como os queijos frescos e de pasta branca elaborados com leite cru. A cafeína e refrigerantes carregados de açúcares não são recomendados e, ainda menos, se contam com gás. Se você gosta de frutas e vegetais em bruto, lávalas sempre a perfeição. E o leite, escolha sempre a pasteurização.
Comer de forma saudável

Chegados a este ponto, cabe comentar que o que se trata é de comer de forma saudável, mantendo uma dieta saudável e equilibrada, rica em proteínas e vitaminas que ajudam o desenvolvimento do feto. Algo que você deve fazer regularmente e que, em nenhum caso, deve acabar se transformando em uma dieta rigorosa, capaz de generarte ansiedade e uma lista de conseqüências que já pode imaginar.
Em suma, nos afastaremos os regimes rigorosos, à base de proteínas, hipocalóricos e outros e, em todo caso e, se queremos levar a cabo um, consultaremos com o nutricionista e informá-lo-emos de nossa condição.
Não obstante, e à margem das alterações comentadas, tens de fazer outras como, por exemplo, aumentar o consumo de carne, peixe, ovos e proteínas em geral a partir do quarto mês de gravidez. Aumentar o de produtos ricos em cálcio também é básico para evitar problemas ósseos, na dentadura sobre tudo. Em relação às gorduras, o Omega 3 é um ácido graxo muito benéfico durante toda a gravidez e a amamentação.

Infelizmente, um dos “novos” transtornos alimentares, que está crescendo com mais rapidez é a pregorexia, uma patologia que sofrem aquelas grávidas que têm um medo patológico por engordar. Um medo muito perigoso para o desenvolvimento do feto, o que pode levar a malformações e semelhantes, para não falar das consequências devastadoras sobre o corpo da gestante.
Claro, não se trata de comer em excesso ou, como conta a cultura popular, “por dois”. O ideal seria aumentar a ingestão calórica entre 200 e 300 calorias por dia. Desta forma você aumentará entre 9 e 15 quilos durante toda a gravidez, ganho de peso que entra dentro da normalidade, mas isso depende de cada mulher.
Outros hábitos pouco recomendáveis

Sua obsessão com os desejos e render-se a eles, bem como deixar de fazer exercício por completo são outras más ideias. Estes primeiros são produzidos fruto da ansiedade e as alterações hormonais, e costuma apresentar-se em forma de desejo por alimentos ricos em açúcares e hidratos de carbono. Não abuses se você não quiser acabar virando um peso excessivo, ou o processo de recuperação após o parto será terrível, para não falar do impacto que terá o peso em suas articulações.
Em relação à prática do exercício, apenas tem que se adaptar para continuar a desfrutar de benefícios como a segregação de endorfinas, perfeitas para manter o seu espírito ao máximo.
Disse o que e para finalizar, todas estas dicas não substituem, em nenhum caso, a consulta ao profissional, plantéale sem medo suas dúvidas, faça os exames médicos necessários e siga as prescrições do seu médico, de cor.