Eu quero me arrumar os dentes: a ortodontia é para ti

Quando pensamos em arreglarnos os dentes muitas vezes fazemos isso por uma razão estética, ou por evitar qualquer inconveniente que nos produzem, mas há que ter em conta outro motivo, não menos importante, o de manter uma boa higiene e saúde oral. A ortodontia é a solução para muitos problemas de dentição, se temos casos em que lhe será útil e como.
A ortodontia é para você se…
Ter dentes mal alinhados ou espremidos há que limpá-los é mais complicado, podendo resultar em cáries, doenças das gengivas ou até mesmo perda de peças dentárias. Quando os dentes não se encaixam, a mandíbula não fecha bem e isto pode causar uma má mastigação, tensão na área e dores de cabeça.
Os problemas dentários mais comuns são o apinhamento, quando os dentes estão montados por não dispor de espaço, a linha média deslocada, quando a parte inferior não se alinha com a superior, os diastemas ou dentes separados e os diferentes tipos de problemas citados acima, como a sobremordida, mordida cruzada e mordida aberta. Na primeira os dentes superiores cobrem os inferiores em excesso, na segunda, também chamada de investida, são os inferiores, os que estão muito a frente, e na última os dentes não se tocam ao fechar a boca.
Estes sintomas são fáceis de reconhecer, mas também é recomendável consultar um ortodontista se notarmos dor e tensão na mandíbula, se temos comida entre os dentes frequentemente ou seguimos uma correta higiene bucal, mas temos mau hálito, já que porventura houver alguma zona inacessível em que permanecem restos de alimentos, sem que nos demos conta.
Quanto antes melhor, mas nunca é tarde
Dentro dos tratamentos ortodônticos existe a ortodontia interceptiva, que se aplica a crianças em época de desenvolvimento, para corrigir problemas que estão ocorrendo nesse momento, e a ortodontia corretiva que tem lugar a posteriori. A idade ideal para tratar os problemas de dentição é entre os 7 e os 8 anos, quando se vão desenvolvendo os maxilares.
As revisões determinadas em que casos você precisa de ortodontia, sendo mais eficaz quanto mais cedo for detectada e se inicie o tratamento. A adolescência precoce também conta com potencial de crescimento e ainda é uma fase ótima, mas uma vez passada, não há que renunciar a uns dentes bonitos e alinhados.
É muito provável que precisemos de mais tempo para obter resultados, a média está entre os 18 meses e os 3 anos, mas a ortodontia em adultos funciona e existem diferentes alternativas para torná-lo mais confortável.

Soluções adaptadas às suas necessidades e gostos
Na ortodontia podem-se usar diferentes tipos de brackets: os metálicos, de toda a vida, os estéticas de cerâmica, com uma cor muito semelhante ao das peças dentais, os de safira quase imperceptíveis, e por último a ortodontia removível, que pode ser infantil, para usá-lo durante as noites ou invisível, fabricada com material transparente, de aspecto semelhante ao plástico.
A ortodontia fixa costuma exigir menos tempo de tratamento, tem menos risco de sofrer rupturas ou perdas e em alguns casos muito complicados é a única alternativa disponível. A ortodontia removível pode ser removida para comer, cepillarnos os dentes, ou em algum momento pontual, como praticar esporte, o que a torna mais adaptável ao nosso dia-a-dia.
Em relação à estética, ambas oferecem a opção de esconder-se à vista, embora, atualmente, não é raro ver pessoas de todas as idades, vestindo brackets visíveis. Os famosos e os puseram na moda, por isso é uma questão de gostos e de optar por uma alternativa ou outra.
A melhor forma de saber qual o tratamento ortodôntico é o que mais nos convém é ir a um especialista em ortodontia, para que nos faça uma revisão e nós orientação sobre a modalidade adequada, o tempo que teremos de levá-la ou que resultados podemos esperar.
Mastigar bem, não sentir a dor de mandíbulas ou de cabeça, nos livrarmos dos problemas ao cepillarnos os dentes, ou simplesmente desfrutar de nosso sorriso quando nos olhamos ao espelho, são melhorias que aumentam a nossa qualidade de vida e bem-estar geral. Em questão de saúde oral, a frase “mais vale tarde do que nunca”, ganha todo o sentido.