Exercício em idosos: a importância do treinamento de força

O exercício dos maiores os ajuda a manterem-se ativos, a se socializar, a realização de actividades em grupo e a ocupar parte do seu dia-a-dia de uma forma saudável e saudável.
Podemos pensar que o exercício em idosos deve ser macio e com atividades leves, já que não lhes convém fazer esforços. A realidade é que o treino de força, é claro adaptado às possibilidades e às características pessoais de cada um, é uma parte indispensável da atividade física em idosos. Este tipo de treinamento lhes ajuda a preservar a massa muscular, estimular a circulação e manter a mobilidade das articulações.
Exercício em idosos: como e quanto
O treinamento em idosos deve sempre ser guiado por profissionais da atividade física e o esporte, e, além disso, devemos contar com a aprovação de seu médico. Uma boa ideia pode ser o fato de contar com um treinador pessoal ou especializada no grupo da terceira idade, já que suas necessidades são diferentes das dos jovens ou das pessoas maduras. Antes de começar, temos sempre que saber se os idosos têm alguma doença, ou se tiveram lesões prévias que possam condicionar o trabalho a realizar.
O ideal é combinar o treinamento de força com o trabalho cardiovascular, umas três ou quatro vezes por semana no total. Com o envelhecimento se perde, inevitavelmente, força e massa muscular, e o treinamento com pesos é uma forma ideal de recuperá-las. Além disso, através do treino com cargas além de trabalhar a coordenação, o equilíbrio e até mesmo a flexibilidade, fatores que vão ajudá-los em seu dia a dia a ser mais independentes e a levar uma vida mais plena.

Infundindo o esporte nossos idosos
Sem dúvida será mais fácil de aproximar o ginásio alguém que já tenha feito esporte durante toda a sua vida a outra pessoa que foi normal. No entanto, é nossa obrigação cuidar de nossos idosos e ajudá-los a ter uma velhice mais plena e ativa, e o exercício é uma boa forma de fazê-lo.
Além de falar sobre os benefícios da atividade física em seu próprio corpo, devemos pensar em benefícios psicológicos da mesma. Os mais velhos costumam passar muitas horas em casa, sem ter relação com os seus pares, ou suas famílias, se vivem com eles: aproximar-se de um centro de dia ou a um centro de fitness facilitará a tarefa de socialização, criando novos laços e amizades e estreitando as relações com seus grupos de amigos. Neste sentido, as aulas coletivas, em que podemos exercitar a força muscular, são um grande acerto.
Também devemos ter em conta os seus gostos pessoais: nem todas as pessoas gostam de treinar igual, e que devemos adequar a formação às necessidades e preferências de cada um. Por mais que saibamos que a natação é benéfica para uma pessoa maior, porque ajuda a trabalhar a musculatura minimizando os impactos e o risco de lesão, se essa pessoa prefere o Zumba devemos tê-lo em conta. A aderência à atividade física é função dos gostos pessoais, e é preferível que a pessoa se mova durante uma hora por dia para você ficar sentada no sofá.

Os benefícios do treinamento de força em idosos
O fator-chave para a perda de massa muscular não é a idade, mas o sedentarismo. Por isso é tão importante que os idosos se mantenham ativos. O treinamento de força contribui não só para tonificar a massa muscular com o que temos, mas também a criar massa muscular nova, sempre e quando esteja bem planejado e acompanhado de uma alimentação adequada. Uma maior massa muscular em pessoas mais velhas contribui para a prevenção de patologias ósseas, sendo ainda mais importante nas mulheres, pelo aparecimento da osteoporose.
A maior coordenação e controle corporal que adquirimos com o treinamento com pesos pode ajudar os adultos a prevenção das tão temidas quedas e as mais que prováveis fraturas. Além disso, o treinamento de força, se beneficia também de nossos ossos, conseguindo uma maior densidade dos mesmos.
Combinando o treinamento de força com outro tipo de atividades cardiovasculares ou com aulas coletivas como o Pilates ajudará nossos maiores ganhar em qualidade de vida durante a velhice.