Férias no cole: chega a hora de os avós

A estampa se repete todos os verões, sobre todo o povo ou a praia, a dos avós que cuidam de seus netos, já sem colégio, enquanto os pais trabalham. E é que se transformam em verdadeiros salva-vidas de muitas famílias, dada a sua delicada situação financeira ou as dificuldades para conciliar a vida profissional e familiar.
Segundo a Sociedade brasileira de Geriatria e Gerontologia (SEGG.), a maioria dos idosos espanhóis que gozam de boa saúde e um alto grau de mobilidade e independência, o que, para eles, costuma ser um prazer assumir o cuidado dos netos. Uma relação, na opinião dos especialistas, muito positiva para ambas as partes.
Vantagens para os netos de estar com os avós
A tarefa dos avós transcende o papel de ficar a cargo dos netos e não são apenas meros prestadores de cuidados de saúde, na ausência de seus pais, mas figuras muito importantes no desenvolvimento emocional e psicológico das crianças.
A pessoa que lhes dá carinho, cumplicidade, confiança, experiência, tempo. Também tolerância e paciência, que muitas vezes não fazem gala seus pais, sobrecarregados pelas exigências do dia-a-dia. Além disso, constituem um padrão de personalidade em que se fixam as crianças e lhes dá a ideia de continuidade e evolução da família, com a transmissão de experiências, histórias, histórias, tradições e valores familiares e culturais, possibilitando que não se perca o passado.
Os avós podem atuar como árbitros em caso de conflito entre pais e filhos, e trazem para os netos uma visão mais realista de seus pais, já que eles falam sobre o que faziam estes à sua idade. O seu papel é fundamental, mesmo quando morrem, porque esta perda obriga a refletir a criança sobre o fato de que os seres humanos, em algum momento, desaparecem.
No entanto, talvez o mais importante desta relação com os avós é o valor e o respeito derivados do intercâmbio entre pessoas de diferentes gerações unidas por um vínculo afetivo.

Vantagens para os avós de estar com os netos
Também para os adultos o contato com os netos é muito enriquecedor, porque os faz sentir mais vivos, úteis, queridos e integrados. Estimula-los, os obriga a se manter em boa forma física e melhorar o seu desempenho cognitivo. Também, os entretém e se vêem reduzidos os seus sentimentos de solidão, tédio ou tristeza.
Além disso, lhes força para serem reciclados: para se relacionar com os netos e estar em dia perante eles, tem que aprender a jogar os jogos eletrônicos, a escrever um whatsapp ou enviar um e-mail.
Eles já criado e educado aos seus próprios filhos, para que possam aproveitar toda essa experiência para desfrutar plenamente dos netos, sem as exigências que envolvem as funções de mãe ou de pai, vivendo até mesmo uma segunda paternidade.
Limites
O problema surge quando o que deveria ser uma atividade prazerosa para o avô e o neto acaba se tornando um fardo para a pessoa maior, o que pode levar, a longo prazo, problemas de stress, ansiedade ou depressão se os avós se vêem ultrapassados, as atividades e responsabilidades com os netos, em detrimento de suas próprias necessidades.
Para não chegar a uma situação assim, a partir da Sociedade Espanhola de Geriatria e Gerontologia recomendam uma boa relação entre pais e filhos, baseada no respeito mútuo, com uma definição clara das funções de cada um e de um acordo sobre os critérios para a educação de crianças. Também, que os maiores não desprezem a sua própria saúde ou o seu tempo de lazer com os amigos ou para atender os filhos. E que aprendam a dizer “não”, embora lhes custe. A linha que separa o prazer de os netos da sobrecarga emocional e de responsabilidades pode ser muito fina.