Gel para correr, quando são recomendáveis?

Certamente você deve ter visto em alguma competição: corredores ou ciclistas que deita a mão ao bolso e tirar dele um produto que vão tomando ao continuar com a carreira. Em esportes de resistência, o abastecimento de energia é fundamental para que o desempenho não possa afectar. É aí que entram em jogo os chamados géis energéticos.
O que são os géis energéticos
Se trata de suplementos, que consumem os atletas de atividades de fundo ou de longa duração. Como o seu nome indica, os géis energéticos são líquidos com uma textura gelatinosa, cujo objetivo é o de fornecer energia que o corpo pode absorver rapidamente.
Os há de todos os tipos de sabores (acima de tudo, frutas como laranja, limão, morango, abacaxi…) e sempre se apresentam em formatos fáceis de transportar e ingerir durante a corrida. Até há pouco, os géis energéticos comercializavam em lojas de nutrição esportiva, mas cada vez mais se encontram em grandes superfícies.
E agora, o que torna interessante este suplemento desportivo é a sua composição. Cada assinatura de nutrição esportiva desenha a sua própria fórmula, mas geralmente, encontraremos entre 20 e 25 gramas de hidratos de carbono (açúcares). Além disso, as exigências dos esportes de fundo, os géis costumam conter sais ou eletrólitos para assimilar melhor os carboidratos e favorecer a absorção de líquidos, bem como um estimulante, como a cafeína para combater a fadiga durante a corrida.
Quando você precisa de géis para treinar

Os atletas de fundo têm demandas energéticas superiores ao resto de atletas, não só pela intensidade da atividade, mas porque submetem o corpo a um alto nível de esforço de forma prolongada.
As reservas de glicogênio são a nossa principal fonte de energia. Normalmente, se estas reservas estão cobertas, basta mais de uma hora de atividade física de resistência para que o glicogênio muscular e hepático se esgotem.
É por isso que recomenda-se que 60 ou 90 minutos de exercício que você faça a ingestão de um gel energético, mas depende muito se o indivíduo é treinado ou não, já que se estamos falando de um atleta suas reservas de glicogênio serão maiores.
No caso de que as reservas de glicogênio se esgotam e não se melhor com o uso de géis, ou outra fonte de energia, o atleta pode começar a experimentar fadiga e cansaço extremo. Este perigoso estado é conhecido como hipoglicemia, ou seja, quando os níveis de açúcar no sangue são baixos.
Enquanto se está em estado de hipoglicemia, se põem em marcha alternativas para criar glicose a partir de novas fontes, um mecanismo denominado glucogénesis. O fígado começa a decompor gordura e proteína para formar glicose e que possa ser utilizado para produzir energia.
No entanto, os atletas não deixam que isso aconteça, não só pelos riscos que acarreta o risco de hipoglicemia, mas também porque é um processo menos eficiente de produzir energia.
Se você está começando a correr, é cedo para começar a tomar géis energéticos. E é que o seu consumo é inicializado com treinos para encarar uma meia maratona, maratona ou uma corrida de ultradistancia. O mesmo acontece com outro tipo de esportes de fundo, como o ciclismo ou a natação, enquanto estás a concretizá-los durante mais de uma hora.
Quando você precisa de géis para competir

É recomendável que os géis energéticos são testadas várias vezes antes do dia da competição. Isso é porque nós devemos descartar perturbar o seu estômago, e para assegurar que tanto a textura como o sabor gostamos de cara no dia da corrida.
Também é fundamental ter uma estratégia nutricional. Embora, por regra geral, costuma-se recomendar que a primeira tomada do gel energético se realize a hora de ter começado a carreira, vai depender muito de como estamos de treinados e as necessidades de cada organismo.
Os géis energéticos geralmente vêm diluídos em água para que seja mais fácil a sua ingestão. Não obstante, também se sugere que cada vez que vamos tomar o façamos com água à mão para facilitar a absorção de líquidos.
Dependendo da distância que você vai percorrer e do tempo que você vai fazer exercício, você precisará carregar com um gel ou com mais de um. Por isso, é recomendável que, diante de provas de distâncias médias e longas, se consulte com um nutricionista-nutricionista.
Fotos iStock | ZamoraA / sportpoint / Ljupco