Guia de alimentação para cuidar no inverno

As temperaturas caem e o corpo nos pede pratos reconfortantes e ricos em nutrientes, com os que combater o frio e reforçar o nosso sistema imunitário. Uma alimentação saudável caracteriza-se também por escolher os produtos de temporada, e prepará-los de forma clara e adaptada a cada estação. Se quiser conhecer os ingredientes para cuidar de si neste inverno, toma nota.

Frutas e legumes, continuam a ser essenciais
Se no verão nos ajudam a hidratar, quando chega o inverno continuam a ser a base essencial de uma dieta saudável, graças a sua grande contribuição em vitaminas e minerais.
Nesta época nos procura mais os sabores doces, e podemos obtê-los através das frutas da época. A apple continua no seu melhor momento e é uma boa alternativa quando temos vontade de beliscar algo. Baixa em calorias, composta por 80% de água, e abundante em fibra que ajuda a regular o trânsito intestinal.
A pêra tem características semelhantes, como a uva, rica em potássio, que ajuda a regular os níveis de sódio. Além disso, essas três frutas da época, contêm uma proporção notável de pectina, que favorece a digestão.
Alguns resfriados são inevitáveis, mas fortalecendo o nosso sistema imunológico, podemos reduzir as possibilidades, ao menos em parte. Para isso, nada como um bom aporte de vitamina C para o caso de alguma carência. Está presente em frutas cítricas como laranjas, limões, tangerinas e pomelos e em outras frutas e produtos hortícolas, como kiwi, pimentão vermelho, a salsa ou brócolis.
Também se encontra nas maçãs de creme, que se destacam por sua doçura e seu alto vitamina A. Estas nos ajudam a manter fortes os dentes e os ossos, e para ter uma pele saudável, graças às suas propriedades antioxidantes. Mais conhecida como retinol, vitamina A está igualmente presente nas acelga, escarola, espinafre e a maioria das verduras de folha verde.

Mais protagonistas do inverno: o abacate, que faz parte das gorduras benéficas, e acrescenta Vitaminas E (antioxidante) e D (que ajuda a absorver o cálcio), mais potássio, com seu efeito diurético. Couve-flor, aipo, nabo, abóbora e cenoura compartilham propriedades semelhantes. Nutrientes, fibras e pouco aporte calórico.
Uma alimentação que conforta
Para enfrentar as baixas temperaturas, precisamos de alimentos que, para além de vitaminas e minerais, nos proporcionem vigor e calor interno. Se dissermos que sejam de satisfação, como os cereais integrais, muito melhor.
Quinoa, milho, aveia ou arroz, enriquecem os nossos pratos de vegetais e seus hidratos de carbono de absorção lenta nos enchem de energia por mais tempo. Os frutos secos podem cumprir a mesma função. Apesar de terem uma alta densidade calórica (com comer um punhado é suficiente), mais da metade de sua composição são ácidos graxos cardiosaludables e, geralmente, aumentam a termogênese, fazendo com que gastar mais calorias quando estamos em repouso.
A castanha é um fruto seco muito típico do inverno. Quando chega a tarde e as temperaturas descem ao mínimo, para quem não gostar de um cone quentinho de castanhas assadas?
Os legumes, um superalimento acessível, são outras das preferidas nestas datas. Também nos dão uma boa dose de energia, proteínas vegetais e muita fibra: lentilhas, feijão, grão-de-bico, soja… Todas são deliciosas e saciantes. Se as combinamos com legumes e cereais integrais, teremos um prato completo.

Quando o frio aperta, uma boa infusão é ideal para entrar em calor. Algumas, como as de tomilho, são digestivas e acalma as irritações da garganta. Além disso, se adicionar uma colher de chá de mel, vamos beneficiar-nos de suas propriedades antibacterianas.
O inverno se come com colher
No verão, as saladas e os shakes fazem com que seja muito fácil consumir uma quantidade adequada de frutas e legumes. No inverno, essa função da cumprem as sopas, cremes e os pratos.
Já sabemos quais ingredientes não podem faltar na nossa alimentação de inverno, agora é misturá-los adequadamente e preparar com eles apetitosos pratos de colher. Nesta época as refeições costumam ser mais fortes, por que recorrer a cremes ou sopas é uma boa forma de aligerarlas.
Também nos ajudam a hidratar, e suportam tanta variedade como nos permita nossa imaginação. Para as sopas, uma base de cebola, alho-poró e aipo, dar-lhes sabor, além de ajudar a evitar a retenção de líquidos. Partindo desta base podemos ir variando e adicionar algas, peixe, missô, um punhado de arroz… A abóbora e a cenoura, são deliciosas em cremes, com um pouco de batata para engrossar e uma cebola. Como a rúcula, espinafre ou couve-flor.
Podemos preparar as sopas e cremes para vários dias e guarde na geladeira ou até medicinais. Assim como os ensopados de legumes, que são ainda mais bons no dia seguinte e que são a essência de uma multidão de receitas para entrar em calor.
Tendo em conta estes pontos, de cuidar de si mesmo no inverno é muito simples e um verdadeiro prazer para o paladar.