Morder as unhas prejudica os nossos dentes

As pessoas com este hábito associam este gesto com algo que lhes acalma e liberta-o de tensões. Normalmente, desconhecem que ao morder as unhas estão removendo a cutícula, que tem uma função protetora dos tecidos ao redor da unha e que, além disso, evita possíveis infecções que podem ser transmitidas pela cavidade oral. As bactérias, vírus e fungos que estão normalmente em nossas mãos e unhas, com o ato de morder as unhas, podem chegar a produzir uma infecção na boca. Por isso, recomenda-se não introduzir as mãos na boca.
Além disso, as unhas são duras, então quando você morde provoca um excesso de estresse, dentes e gengivas, o que pode resultar na quebra dos dentes e doenças periodontais (que podem também chegar a implicar a perda de peças).
Se já tem provocado danos nos dentes, a primeira coisa que devemos fazer é pedir ajuda profissional para acabar com o hábito e, em segundo lugar, consultar o dentista para que possa tratar a queda de dentes, ou ao periodontista se as gengivas que são afetadas.

O tratamento deste problema requer uma atuação precoce com o fim de evitar que se tornar crônica. De fato, quanto mais cedo for detectado, mais fácil será controlá-lo. Por exemplo, se uma pessoa roer as unhas quando está ansiosa, se lhe ensina a colocar em prática alguma técnica de relaxamento, mostrando-lhe como controlar o pensamento, com o fim de aprender a realizar uma atividade que seja incompatível com o hábito.
No mercado existem alguns produtos que possuem a função de fazer desagradável o ato de morder as unhas, embora para alguns pacientes pode ser útil o seu uso, a verdade é que muitas pessoas acabam acostumbrándose a seu sabor, pelo que esta solução nem sempre é eficaz.