Não só creme: as melhores dicas para proteger a pele do sol

Hoje em dia é difícil encontrar alguém na piscina ou na praia que não se aplique creme solar, ao menos uma vez, mas é suficiente para nos proteger do sol? Te contamos quais são as recomendações para cuidar da sua pele e sua saúde neste verão.
Protetor solar: escolher o certo e usá-lo bem
A primeira coisa é ter certeza de que estamos usando o fator de proteção adequado. Como já discutimos em nosso guia para escolher o protetor solar, se temos a pele clara, devemos aplicar sempre um FPS maior do que 50, e se for mais escura, no mínimo, 30. Os menores de um ano não devem nunca se expor diretamente ao sol, embora a partir dos 6 meses de idade, já se lhes pode colocar protetor solar, sendo de escolha os cremes que possuem filtro solar de fator físico.
Os protetores que usamos tem que ser de amplo espectro, ou seja, que indiquem que protegem contra a radiação ultravioleta B (UVB) e também contra a radiação ultravioleta A (UVA). Se têm um FPS baixo ou só nos protegem dos raios UVA, que talvez nos ajudem a evitar as queimaduras solares, mas não se demonstrou que reduzam o risco de sofrer de câncer de pele ou envelhecimento prematuro da pele.

Também é importante verificar a data de validade e se o creme é do ano passado, além disso, ter certeza do tempo que dura em perfeitas condições, uma vez que o recipiente está aberto. Isso costuma ser indicada com o símbolo de um bujão aberto e o número de meses escrito acima, por exemplo 12.
Por outro lado, de acordo com um estudo apoiado pela Academia Espanhola de Dermatologia e Venereología (AEDV), apenas 2,5% dos espanhóis se aplica a protecção solar de forma correta, ou seja, meia hora antes de tomar o sol e repetir a sua aplicação a cada duas horas ou sempre que saímos da água. Fazê-lo bem é a única forma de que possa proteger-nos realmente.

Cuidado com os horários e os esquecimentos
Já estamos usando o protetor adequado e de forma adequada, agora temos que certificar-se também de não se expondo ao sol em horários de maior risco, que vão de aproximadamente às doze do meio dia às quatro da tarde.
O resto horas, igualmente, deveremos utilizar o protector solar, mesmo em dias nublados, já que através das nuvens pode passar entre 50% e 90% da radiação ultravioleta, de acordo com sua densidade. O mesmo quando estamos debaixo de um guarda-sol, que embora nos dá proteção, nunca o faz ao 100%.
Ao aplicar o creme existem algumas partes do corpo que costumam cair no esquecimento, e que devemos ter presentes, como o peito do pé, a área atrás dos joelhos (o oco poplíteo), a nuca, as orelhas, axilas, as ingles ou as pálpebras. O rosto também precisa de um fator de proteção alto, mas há opções cosméticas menos gorduras e idealizados para cuidar dos diferentes tipos de pele do rosto.
Não só na praia, não só creme
Os dermatologistas aconselham aplicar um creme com proteção solar durante todo o ano, não apenas no verão ou quando estamos na praia ou piscina, já que também colocamos em risco a nossa pele, na rua passeando ou fazendo outras atividades ao ar livre. Por não falar da montanha, onde a mais altura mais irrigação, assim que este é um lugar em que usar um protetor com FPS alto é vital.
Além do creme, também nos ajudará a nos protegermos do sol, usar roupas de cor clara, que reflete grande parte da luz que recebe, capazes de um chapéu ou boné com pala e para proteger os nossos olhos depois de uns óculos de sol, homologadas e com proteção contra os raios UV.
Por último, mas não menos importante, hidratar por dentro é essencial, bebendo água suficiente e ingerir frutas e verduras, especialmente as que têm um alto conteúdo em licopenos e beta-caroteno, como o tomate e a cenoura, que ajudam a preparar a nossa pele contra o sol. Neste sentido, os smoothies são uma alternativa perfeita para refrescar-se e enchem de vitaminas.
Fotos | iStock / sborisov / macniak