O balão intragástrico e outras cirurgias bariátricas

Segundo os dados da Organização Mundial da Saúde, a Europa enfrenta uma epidemia de obesidade no ano de 2030. Portugal terá, segundo a estimativa, com 70% de população com excesso de peso e 30% com obesidade: alguns números alarmant
é se temos em conta que o excesso de peso pode promover outras doenças mais importantes, como as doenças cardiovasculares ou as relacionadas com os hormônios. É Cada vez maior o número de pessoas que querem perder peso, tanto pela estética quanto pela saúde, e recorrem a cirurgias bariátricas como o balão intragástrico, por não ter encontrado uma solução em dietas e regimes alimentares.

Antes de começar a pensar em uma cirurgia bariátrica devemos, como sempre, a consulta com nosso médico. O profissional médico saberá orientar nos sobre qual é o método que mais nos convém de acordo com as nossas circunstâncias e, além disso, nos acompanhará durante todo o processo, que também envolve um processo de reeducação nutricional do paciente em todos os casos. Geralmente o paciente ideal para este tipo de intervenção, é o que sofre de obesidade mórbida ou obesidade severa de tipo II, tem um índice de massa corporal (IMC) igual ou superior a 40 e não tem visto resultados através de métodos não invasivos, tradicionais.
As cirurgias bariátricas mais utilizadas

Existem vários tipos de cirurgia bariátrica, que se realizam em função das necessidades do paciente. Os mais utilizados são os seguintes:
O by-pass gástrico: trata-se de uma técnica mista, já que une a redução da capacidade do estômago, tornando-o mais pequeno, com a interrupção da absorção de nutrientes (este “novo” estômago mais pequeno se conecta diretamente com o intestino delgado). É uma cirurgia de derivação gástrica através da qual se aumenta a sensação de plenitude (a capacidade do estômago é menor e o paciente se sacia com menos comida). Devido a isso, o pâncreas do paciente produz menos insulina, mas também menos hipotalâmico grelina, dois hormônios-chave quando falamos do apetite e da saciedade.
A banda gástrica ajustável: é uma técnica restritiva que reduz a capacidade do estômago do paciente. A banda de silicone é colocada ao redor do estômago através de uma cirurgia minimamente invasiva, de modo que se cria um reservatório (um pequeno compartimento na parte superior do estômago) do que vão passando os alimentos de forma muito lenta para o resto do estômago. Assim, cria-se uma sensação de maior saciedade do paciente. A banda gástrica ajustável e reversível, e precisa apenas de leves reajustes por parte do médico aproximadamente três vezes ao ano.
O balão intragástrico: também faz parte das técnicas restritivas, porque reduz a capacidade do estômago. Neste caso, em vez de colocar uma banda é introduzido por via endoscópica uma bola flexível de silicone no estômago, que é preenchido com uma solução salina: ao aumentar de volume, o bola, o estômago reduzindo a sua capacidade e se produz uma sensação de saciedade imediata do paciente. Como a banda gástrica, o balão intragástrico é uma solução ajustável e reversível, que pode ser usado durante aproximadamente seis meses.
A importância da reeducação nutricional
Seja qual for o método que você escolher e que nosso médico nos recomende para tratar a obesidade, é de vital importância que o de combinar com a reeducação alimentar e com a inclusão em nossa vida de hábitos saudáveis. Durante todo o tempo que dura o tratamento com balão ou banda gástrica, e posteriormente a intervenção de by-pass gástrico, devemos nos colocar nas mãos de um profissional de nutrição que nos ensina de novo a comer para evitar esta forma de recuperar os quilos perdidos.
A assistência psicológica também é importante durante todo o tratamento para a perda de peso: contar com a ajuda de um profissional será decisivo não só para perder os quilos que nos sobram, mas também para manter um peso saudável ao longo do tempo. Durante os primeiros meses do tratamento é quando mais peso costuma perder, para ir diminuindo e até mesmo estancándonos com o passar do tempo: o psicólogo vai nos ajudar a entender que este é um processo normal ao usar uma bola ou banda gástrica, e que não devemos frustrados se a perda de peso se torna mais lenta de acordo com os meses passam.
Além disso, também é importante incorporar o hábito da atividade física para o nosso dia-a-dia: atividades de baixo impacto como caminhar com um passo leve ou andar de bicicleta, por pelo menos 20 minutos por dia é o ideal para nos ajudar a manter o nosso peso e para cuidar de nossa saúde.