O estado de cetose em dietas

Certeza que em algum momento você já ouviu falar de dietas baixas em hidratos de carbono, dietas hiperproteicas ou proteinadas e até mesmo do estado de cetose como meios para perder peso, e é possível que não saiba muito bem a que se referem estes termos.
Te explicamos o que é o estado de cetose nas dietas, se é bom ou ruim entrar em cetose para perder peso, se é recomendável ou não seguir uma dieta cetogénica se você é desportistas e algumas das perguntas mais frequentes que surgem em torno destes conceitos.

O que é a cetose?
Comecemos pelo princípio: a cetose é o estado metabólico em que entra o nosso corpo quando lhe obrigar-se a utilizar as gorduras como fonte primária de energia. Seguindo a dieta mediterrânea, que é a mais popular em nosso país, em que estão presentes de forma muito numerosa carboidratos (na forma de pão, massas, cereais, etc.), a nossa principal fonte de energia em condições normais, não costuma ser esta: os hidratos de carbono.
Através de uma dieta em que os hidratos de carbono são reduzidos drasticamente (não costumam ser eliminados, já que se seguem consumindo fontes de carboidratos vindos de vegetais ), já não temos disponível a energia proveniente dos carboidratos: nosso corpo, nesse momento, passa a usar as gorduras que ingerimos e as que temos armazenadas para produzir energia, produzindo no fígado, além de uma série de corpos conhecidos como corpos cetónicos.
Se costuma demorar alguns dias para entrar neste estado de cetose em que usamos as gorduras como principal combustível (sempre e quando a nossa ingestão de carboidratos é baixa: em torno de 15 ou 30 gramas de carboidratos por dia), dependendo da quantidade de glicogênio que tenhamos armazenado em nosso corpo. E não é fácil manter este estado: no momento em que ingiramos uma quantidade maior de carboidratos, sairemos do estado de cetose e voltaremos a usar os hidratos de carbono como principal fonte de energia.

Quais os benefícios que o estado de cetose?
As dietas que nos fazem entrar em estado de cetose tendem a nos ajudar a perder mais peso durante os primeiros dias, (embora esta perda de peso é basicamente líquido), quando estamos “gastando” todo o glicogênio que tínhamos armazenado em nosso corpo. Isso pode ser uma boa motivação se você acabou de começar uma dieta: veja como os números da balança descer para uma maior velocidade no início, pode nos ajudar a nos manter firmes em nosso propósito de perder peso. Ainda assim, devemos ser conscientes de que este peso que estamos perdendo não é formado somente de gordura, mas que corresponde, em sua maior parte com o glicogênio perdido.
Outra das vantagens do estado de cetose nas dietas é que o nosso corpo aprende a usar as gorduras de uma forma mais eficiente, como “combustível” para realizar as diferentes tarefas da vida diária e também para treinar. Uma vez que voltamos a introduzir uma maior quantidade de hidratos de carbono na nossa alimentação é feita de forma controlada e com a ajuda de um médico especialista, para evitar o efeito rebote) o nosso corpo já terá aprendido também a gerir estes hidratos de carbono de uma maneira melhor.
Quem pode fazer uma dieta que inclua um estado de cetose?
Não todo o mundo pode realizar uma dieta cetogénica. Tem que ser o médico especialiste o que avalie se a pessoa pode se submeter a este tratamento. Além do cumprimento da história clínica, o pacienta se tem que realizar uma análise completa e um eletrocardiograma.
Como podem as pessoas atletas levar a cabo esta dieta? Sim, de fato o estado de cetose é frequentemente usado no mundo do fitness durante a última fase do período de definição, quando estamos tentando remover a maior quantidade de gordura possível que recobre o músculo que temos construído durante a época de volume. No caso de atletas de resistência, como triatletas ou maratonianos é interessante usá-lo para que o corpo aprenda a utilizar da melhor forma as gorduras como combustível (o limiar anaeróbio, o ponto a partir do qual o nosso corpo gera energia somente a partir de glicogênio, ascende em atletas de resistência com uma dieta baixa em hidratos de carbono).
Agora, devemos salientar que é importante que esse tipo de dieta as fazemos sempre sob recomendação médica para cuidar de nossa saúde o processo, já que entrar em estado de cetose pode apresentar ocasionalmente, alguns efeitos colaterais não desejados (e transitórios), como podem ser as dores de cabeça, náuseas, falta de apetite ou perda de massa muscular. Realizando a diminuição de carboidratos de uma forma progressiva, podemos evitar esses efeitos colaterais e deixar que o nosso corpo vá se adaptando a este novo estado, pouco a pouco.