O que saber sobre a higiene, se você trabalha em saúde?

A higiene nos hospitais e diversos centros médicos é, à semelhança do que acontece em nossa vida diária, a nível particular, um dos hábitos mais importantes não só para proteger a saúde dos próprios profissionais que trabalham no interior de suas instalações, mas também os pacientes que chegam em busca de ajuda para melhorar o seu estado. Hoje contamos-lhe o que saber sobre a higiene, se você trabalha na área da saúde, é-nos acompanhá-lo?
Com o principal objetivo de que nossa mente e corpo adotem um estado muito mais saudável e aumentar a sua vitalidade para enfrentar os diferentes desafios que nos impõe a vida a cada dia, temos de apostar na higiene e cuidados pessoais, hábitos que não podemos deixar de lado e convertê-los em um costume adicionado à lista de muitas outras práticas cotidianas que realizamos ao longo do dia. Isso mesmo que devemos desenvolver a nível particular, é de se extrapolar o âmbito da saúde, mais especificamente as clínicas, centros de saúde ou hospitais, cujos profissionais dedicam sua vida a cuidar do bem-estar de outras pessoas, afetadas por uma doença ou condição específica.

O ambiente de um hospital pode jogar um papel determinante na transmissão de doenças ao resto dos pacientes que recorrem a estes centros. Tal como especifica a Organização Mundial da Saúde, 7 de cada 100 pacientes em países desenvolvidos adquirem algum tipo de infecção depois de ter estado em contacto com os seus pacientes, pois estes profissionais não é para lavar adequadamente as mãos ou não utilizavam instrumental adequado na hora de estudar a doença ou condição de saúde de seus pacientes, como é o caso das luvas de látex descartáveis.
Importância da higiene em um hospital
Se formos às normas de higiene hospitalar nos daremos conta de que, precisamente, um dos meios mais importantes para garantir a limpeza e prevenção de doenças são materiais como luvas antes mencionados e, de cara para as pessoas encarregadas das tarefas de limpeza destes centros, ferramentas como panos de chão, de grade, detergente e um balde.
Entre outras coisas, não se recomenda o uso de desinfetantes em spray, porque além de não realizar uma limpeza completa, podem ser tóxicos para os diversos químicos presentes em sua composição. Também especifica que o efeito da eliminação dos microrganismos através da lavagem com água, detergente e pano limpo é ainda mais relevante do que a própria solução ou eficácia do produto de limpeza.

Por outro lado, fatores como a umidade, as mudanças do clima, tão frequentes em nossa sociedade atual, ou a concentração de elementos orgânicos e de sujeira em certos cantos de os centros de saúde podem contribuir para a formação de pragas de roedores ou todo o tipo de insetos, colocando desta forma em risco as condições de saúde do centro em questão. Nestes casos, temos de confiar no profissionalismo dealgunos especialistas em controle de pragas para combater o possível foco de infecção.
Em qualquer caso, uma das estratégias a ter em conta nestes casos é a prevenção, levando a cabo operações de limpeza mais específicas em locais mais sensíveis à concentração desses organismos. Uma das medidas que podemos aplicar é o de evitar o acúmulo de lixo, cuja presença chamar a atenção de agentes infecciosos.