O Vírus A (H1N1), desaparece

Tanto se falou e se escreveu sobre a dichosagripe, que parece mentira que apenas tenha tido problema. Após uma brutal campanha financiada e dirigida por não se sabe quem, elvirus A H1N1no foi tão feroz como a pintou. Agora, oficialmente, já se pode dizer que o vírus H1N1 desaparece.

Após 16 meses de alerta, o Vírus H1N1 foi morto. Um alarmismo extremo e extremamente desnecessário que nos foi saturado durante muito tempo. Tudo começou em abril de 2009, quando foi detectado um novo vírus A (H1N1) de origem suíno. Desde então, a OMS (Organização Mundial de Saúde) não tem parado de saturarnos com mensagens de extrema gravidade, como o lançado em 11 de junho de 2009, quando o referido organismo decretou o nível 6 de alerta, o mais alto na hierarquia e que corresponde ao de pandemia.

Alerta máximo sobre o vírus A (H1N1), planejou sobre nossas cabeças durante muito tempo. Mas o que sim é certo é que a gripe A ele custou a vida de pelo menos 18.449 pessoas em 214 países.
Mas a OMS tem sido muito criticado pela forma como tem gerido os níveis de alerta até alguns extremos que foram nervoso além da conta. Neste sentido, Margaret Chan, diretora da OMS, justificou-se dizendo que as pandemias são todas luzes “imprevisíveis”, por isso o planejamento deve ser feito entrando no “pior caso”. Além disso, acrescenta que, apesar de declarado o fim de lagripe A, o H1N1 continua circulando durante vários anos”.