Ondas de choque em fisioterapia, para que servem?

Em fisioterapia, você pode escolher entre dois tipos de ondas de choque (radiais e focais) em função da lesão a ser tratada.
A terapia consiste na aplicação de ondas sonoras de alta velocidade. Em concreto, entre uma e quatro ondas por segundo. Isto é conseguido através de um cabeçote que impede a dispersão e focaliza as ondas através de um gel, ou líquido transparente, que é colocada exatamente acima do local a tratar, uma vez localizado por meio de palpação.
A profundidade a que podem chegar as ondas difere, dependendo se são ondas de rádio e, nesse caso, chega a profundidades de até cinco centímetros, ou ondas focais, caso em que a profundidade é muito maior, podendo chegar até 12 cm
Uma vez que as ondas focais chegam mais para dentro, produzem também mais dor, sendo necessário, por vezes, aplicar algum tipo de anestesia. As ondas de rádio, são muito menos irritantes.
Este tipo de tratamento, entre outras consequências, tem acelerar a produção de colágeno, que é necessária para a reconstrução de qualquer tipo de tecidos. Além de acelerar a reconstrução, o tratamento por ondas de choque em fisioterapia permite dissolver procedimentos, evitando a necessidade de que tenham que ser removidos por cirurgia. Por outro lado, a não necessidade de intervenção cirúrgica, implica que o restabelecimento ocorre em menor tempo.
Em suma, as ondas de choque produzidas limitando a nível das células e dos tecidos, que, depois de uma resposta inflamatória, levam à sua reconstrução. Com isso, normalmente, desaparecem os problemas da dor crônica, que costumam ser os motivadores deste tipo de terapias.
As ondas de choque são eficazes em fisioterapia em 90% dos casos. Por isso, só em 10%, é necessário utilizar outro tipo de terapias.
A aplicação das ondas não se realiza de uma só vez, se não que as sessões se realizam ao longo do tempo. Em especial, é importante que se deixe o tempo necessário para que os tecidos possam dar uma resposta reparadora.
Quais são indicadas as ondas de choque em fisioterapia?
Como já indicado anteriormente, são muito eficazes em caso de dores crônicas, como acontece com os ombros, todo o tipo de dores lombares ou pontos gatilho, entre outros.
Mas, além disso, são utilizados para dissolver procedimentos, como no caso de esporão calcâneo ou artrose.

Outro tipo de aplicativo interessante que se encontra em caso de fraturas, para que o gabarito seja adequada, podendo até mesmo retardar a cicatrização óssea, quando assim for considerado adequado. No caso de tendinite, ou, em geral, para a regeneração de tecidos musculares, como no caso de entorses ou distensões.
Os efeitos que se observam como consequência da aplicação das ondas de choque em fisioterapia vão desde o aumento da produção de colágeno e a eliminação de procedimentos até a formação de novos vasos sanguíneos, cura de inflamações crônicas…
Onde encontrar tratamento por ondas de choque em fisioterapia?
Estão Cada vez mais presentes em clínicas e centros de fisioterapia.
Além disso, apenas 20% dos pacientes com problemas de dores crônicas sem resultados com outros tratamentos, não conseguem eliminar o problema definitivamente. Mas, podem notar melhorias.
Em geral, aplicam-se entre 3 e 5 sessões, deixando entre 3 e 10 dias entre um e outro, de acordo com o tipo de problema, a resposta dos tecidos e a tolerância do paciente. Indicamos este último, porque durante as sessões, você pode experimentar um certo incômodo. Se bem que, não costumam exceder de cinco minutos.