Ortodontia em mordida cruzada e mordida aberta, pois é necessária?

A forma em que mordemos e como são colocados os dentes ao fechar a mandíbula é um fator importante que, de não ser realizada corretamente pode levar a problemas mais graves do tipo esquelético e muscular. Duas das doenças mais comuns quando falamos de problemas citados acima são a mordida cruzada e mordida aberta: em ambos os casos, os dentes não ficam bem alinhados ao fechar a boca, e existem diferentes métodos para tratar esses problemas. Um dos mais utilizados é a ortodontia, mas é sempre necessário o seu uso no caso das patologias relacionadas com a mordida?
A mordida cruzada, o que é e como se trata?
A mordida cruzada é uma patologia muito comum, especialmente entre as crianças. Consiste em que, ao fechar a mandíbula (ao morder) uma ou várias peças dentais da arcada superior ficam por trás das peças da arcada inferior. Esta patologia pode ter diferentes origens: pode ser de origem dentário se os dentes têm uma posição correta, mas as peças dentais estão inclinadas, de origem esquelético se o maxilar superior é maior que o inferior, ou pode ser de origem mista, quando os dois problemas anteriores são dadas a cada vez.
Embora a mordida cruzada é uma patologia que pode se desenvolver em qualquer idade, é especialmente importante a detecção precoce e o tratamento no caso de crianças: durante a infância, os músculos e os ossos de todo o corpo, incluindo a face, encontram-se em desenvolvimento, portanto, é muito mais fácil devolvê-lo à sua posição correta e promover um crescimento adequado.
No caso de crianças, a mordida cruzada trata-se durante um ou dois meses com um aparelho chamado “expansor”: este aparelho se fixa na boca e vai aumentando diariamente de forma progressiva e manual com chave. Ao finalizar esta parte do tratamento o expansor fixo em sua posição ideal para que o osso ajuste a sua posição ao ficar duro.
No caso dos adultos, o tratamento para a mordida cruzada é mais complexo, já que é mais difícil modificar a posição dos ossos. Nestes casos recorre-se à ortodontia, da combinação de vários aparelhos e, em alguns casos, fazendo uso de cirurgia corretiva.

O que é a mordida aberta?
Quando no momento de morder os dentes da arcada superior não entram em contato com os de baixo, mas que cria um espaço entre eles, podemos falar de mordida aberta. Se, além disso, os dentes superiores não ficam à frente dos inferiores se tratará de uma mordida aberta anterior. Outros tipos de mordida aberta são a posterior (quando não há espaço entre os dentes posteriores opostos de ambas as arcadas) e a sobremordida incompleta (quando ao morder os dentes frontais inferiores não entram em contato com os superiores).
Muitas vezes, a mordida aberta pode derivar de alguns hábitos para crianças como o de chupar o polegar ou o uso excessivo da chupeta em crianças. Também pode dever-se ao facto de empurrar os dentes com a língua de forma inconsciente. Além disso, a mordida aberta não só nos afeta de forma estética, distorcendo nossa sorriso, mas que pode causar problemas na fala, como o ceceio e outros problemas respiratórios.
Dependendo da idade do paciente, o problema pode resolver-se com um tratamento de ortodontia ou haverá que recorrer a cirurgia, por isso, é muito importante o diagnóstico precoce.
Ortodontia interceptiva para as crianças: o tratamento é semelhante ao da mordida cruzada, e, igualmente, é usado um expansor para alterar a posição e o crescimento dos ossos.
Ortodontia para adolescentes: durante a adolescência, pode-se recorrer a diferentes tratamentos odontológicos, como os brackets, para modificar a posição dos dentes, puxando-os para cima, e ajustar a mordida.
Cirurgia ortognática para adultos: no caso dos adultos com mordida aberta severa é necessário recorrer à cirurgia, desde que a ortodontia é ineficaz por si só. Durante a intervenção da mandíbula é colocado na posição correta e é fixada com pregos e com placas para, posteriormente, passar ao tratamento com ortodontia.