Os melhores treinamentos e rotas no dia da bicicleta

Hoje celebramos o Dia Mundial da Bicicleta e queremos fazê-lo de uma maneira muito especial, por isso vos vamos falar sobre os benefícios de se mover em bicicleta, de incluir a nossas amigas de duas rodas em nossas rotinas esportivas e as melhores rotas em que podemos desfrutar de muitos quilómetros a natureza, com as bicicletas, sejam do tipo que forem. E é que a bicicleta, desde há alguns anos, tornou-se muito mais que um acessório para nossos momentos de lazer: para muitos, já é o seu meio de transporte favorito e para outros é uma ótima maneira de compartilhar momentos especiais com sua família, sem esquecer os que lhes está acompanhando em sua jornada para uma vida mais saudável. A bicicleta é para todos!
Os benefícios de se locomover em bicicleta

Até há pouco tempo, ir de bicicleta para o trabalho era algo que não se estilaba muito em nosso país. Pouco a pouco fomos copiando a outros países do norte e centro da Europa, como a Holanda ou a Dinamarca, pioneiros na arte da conciliação do tráfego motorizado, com as bicicletas, para tornar nossas cidades mais “bike-friendly” e, deste modo, incentivar o uso de bicicletas não só no tempo de lazer.
E é nos deslocarmos de bicicleta para o trabalho, pode nos trazer muitos benefícios. Para o nosso organismo, andar de bicicleta é um ótimo exercício cardiovascular que vai melhorar nossa circulação, aumentará nossa capacidade e eficiência respiratória e nos permite tonificar os músculos de nossas pernas, nádegas e zona media, incluindo a parte do abdômen e musculatura lombar. Andar de bicicleta é também ter o controle do nosso corpo e manter uma postura correta durante a nossa viagem, fortalecendo, assim, toda a musculatura que protege a nossa coluna vertebral.
Mas andar de bicicleta não só é bom para nós, mas também para o meio ambiente: uma bicicleta que produz zero emissões tóxicas e não produz ruído, facilita o trânsito e a circulação na cidade, e nunca vem mal lembrar de que também ajuda a cuidar do seu bolso.

As melhores rotas para desfrutar em cima de duas rodas

Para além de meio de transporte habitual, a bicicleta é um dos acessórios preferidos para aproveitar o nosso tempo de lazer. É indicada para qualquer idade: acertadísimo é aquele ditado que diz que uma vez que se aprende a andar de bicicleta, não se esquece jamais. A bicicleta é perfeito para desfrutar de uma saída de campo com toda a família ou com os amigos, incluindo um piquenique a meio da manhã para desfrutar da paisagem. Em seguida deixamos-lhe algumas as melhores rotas no nosso país para dar pedais:
Volta para a Casa de Campo em são paulo: a Casa de Campo é o pulmão verde da capital, e a cada fim de semana, os seus caminhos são tomados por dezenas de ciclistas de todas as idades e níveis que querem desfrutar do ar puro em plena cidade. A tradicional volta para a Casa de Campo por estradas de terra corre por cerca de 16 quilômetros, com subidas algo sinuosas, mas anti-para todos os níveis e saídas divertidas em que apenas tem que se preocupar de desfrutar. Se você já conhece o perímetro do majestoso parque sempre pode se aventurar por suas trilhas internas, onde você vai encontrar muitos mais ciclistas e alguns corajosos runners fazendo a sua tiragem longa.
Via Verde do Portela, em Lisboa: partindo da estação de carnaxide podemos seguir os 49 km de trilho condicionado de asfalto avermelhado, que a converte em uma via de fácil percurso. O melhor dessa rota, sem dúvida, é o seu cenário em que a natureza nos pegar. Um passeio muito recomendado para qualquer cidadão da capital e para os visitantes.
A Caminho do Urso em Astúrias: poucos lugares tão preciosos para desfrutar sobre a bicicleta como Astúrias, com suas paisagens de conto imersos na natureza exuberante. Esta trilha de montanha, a mais movimentada de Astúrias, tem a forma de E, e conta com 36 km em um único sentido. O caminho passa por terreno asfaltado com muro de proteção e iluminação automática em túneis longos, e a sua passagem pelos espaços osero podemos ver a Paca e Tola, as duas ursa que vivem nas montanhas das astúrias desde 1996.
Via Verde Olhos Negros na comunidade autónoma da Comunidade Valenciana: 67 quilômetros de percurso, que discorrem entre Castellón e Valência são os que podemos desfrutar na Via Verde, Olhos Pretos, uma das mais bonitas do nosso país. Este percurso asfaltado passa por 15 túneis e 8 pontes, entre eles o conhecido viaduto Da Fuensanta, onde podemos descer até o fundo do barranco para visitá-lo. Uma oportunidade única de desfrutar entre os pomares de laranjeiras típicos da Comunidade Valenciana.
Caminhos do Delta do Ebro, na Espanha: a zona do Delta do Ebro é totalmente plano, o que a torna perfeita para desfrutar de um passeio de bicicleta com toda a família. Até 10 itinerários diferentes são os que nos têm preparados neste lugar mágico onde idosos e crianças podem desfrutar das paisagens dos campos de arroz e da fauna da região, destacando-se a sua grande quantidade de aves e, entre eles, os mais engraçados flamingos, que podemos ver em muitos dos percursos. Uma super oportunidade de exercitar-se com os mais pequenos da casa e terminar o dia saboreando a gastronomia do lugar.
Se somos mais aventureiros e nós encorajamos você a fazer rotas mais longas e até mesmo a sair de Portugal em bicicleta, temos uma boa notícia: em 2020 estarão operacionais todas as rotas de bicicleta de Eurovelo, um projeto europeu que unirá 42 países do continente através de mais de 70.000 quilômetros ciclables. Três das rotas de Eurovelo partem ou têm seu fim em nosso país (a rota atlântica, a rota mediterrânea e a rota dos peregrinos), assim, teremos a oportunidade de partir em Portugal para visitar a Europa a pedais.
Os erros que você deve evitar ao treinar com a moto

Se além de usar a bicicleta como meio de transporte também se anima a dar pedais por sua saúde, nada melhor do que realizar treinamentos eficazes sobre a sua amiga de duas rodas. Alguns erros que podemos cometer ao treinamento em bicicleta e que devemos evitar para progredir no nosso treinamento são os seguintes:
Fazer sempre a mesma rota: um problema semelhante se nos apresenta ao sair para correr e decantarnos por fazer sempre o mesmo percurso. Nosso corpo se acostuma a fazer sempre o mesmo esforço e deixamos de crescer. Um problema ainda maior se, além disso, em nosso curso não incluímos inclinações ou alterações de ritmo para fazer uma demanda um pouco maior para o nosso organismo e fazer com que saia de sua zona de conforto.
Não se hidratar corretamente: a bicicleta temos mais fácil do que em qualquer outro esporte, levando o nosso próprio balde com nós, sem qualquer desconforto. Dentro do tambor, podemos levar água, uma bebida isotónica ou até mesmo podemos diluir um gel de carboidratos, que nos forneça energia durante o caminho. Na primavera e no verão podemos congelá-lo antes de sair para ter água fresca durante todo o caminho.
Levar sempre a mesma velocidade: não temos de rolar sempre à mesma velocidade, pois o ideal é intercalar a intervalos de maior esforço com os outros que venham mais relaxados. Subir ladeiras nos ajudará a ganhar potência da pedalada.
Pedalar só com as nossas pernas: é importante lembrar que a força em todos os movimentos provém sempre do núcleo ou centro do corpo, e a partir daí se dirige para as pontas. Para fazê-lo deste modo temos que nos concentrar em nossa área central e levar a partir daí a energia para o glúteo e pernas, distribuindo o esforço por todo o corpo.
Levar uma postura incorreta sobre a bicicleta: eu te machuquei as costas depois de um treino de bicicleta? Provavelmente por ter uma má postura. Vamos tentar afastar os ombros das orelhas o mais rápido possível controlar a postura através da musculatura interna do abdômen. Um abdome forte é garantia de uma boa postura e de zero dores após o treino.
Não aquecer ou alongar: começar as sessões de treino com um aquecimento de alguns quilômetros de rodagem fácil e esticar sempre ao terminar. É claro que, além das pernas, devemos esticar o trem superior, que também tem se esforçado durante a filmagem.