Pesquisa na Internet: saúde para o seu cérebro

Desde que estamos imersos na Rede, são muitos os mitos que surgiram associados à nossa saúde, entre outros problemas decorrentes do sedentarismo, síndrome do escritório ou falta de socialização. Por fim, temos uma boa notícia publicada no American Journal of Geriatric Psychiatry: pesquisar informação na Internet é uma boa prática para retardar o envelhecimento cerebral.

A investigação que se tem desenvolvido na Universidade de Los Angeles, estudou os usos e benefícios de navegar e pesquisar na Internet, e chegaram à conclusão de que esta prática activa dos principais centros do cérebro que intervêm no processo de tomada de decisões e raciocínios complexos, principalmente em pessoas de meia-idade e os mais velhos. O diretor da pesquisa, afirmou que “a pesquisa na Internet é uma complicada atividade cerebral, que pode ajudar a exercitar e melhorar o funcionamento cerebral”.
Os participantes da pesquisa foram submetidos a observação através de ressonâncias magnéticas enquanto navegavam, liam ou buscavam informações online. Esta última atividade foi a que mais surpreendeu os pesquisadores das áreas do cérebro que se ativam, com resultados mais acentuados nas pessoas que têm mais experiência em rede.