Pilates ou Yoga, o que é o que mais me convém?

Pode ser que você esteja indeciso entre começar a praticar Pilates ou Yoga, duas das disciplinas mais em moda ultimamente. Para que não se faça tão difícil escolher se falamos sobre os pontos fortes em cada uma delas.
Yoga: a meditação através do corpo
O Yoga não é considerado um esporte, mas um estilo de vida com uma filosofia muito própria. O Yoga é dada muita importância a união de corpo, mente e espírito (de fato, a palavra “yoga”, em sânscrito, significa “união”), e o que se busca é o fato de chegar à meditação através das diferentes posições ou asanas e da paz mental.
Atualmente existem muitos tipos de Yoga muito diferentes entre eles, desde o Yoga mais tradicional (o que hoje se identifica com o hatha yoga) ao modalidades criadas para grupos diversos, como Yoga para crianças ou Yoga para doentes de câncer. Uma das modalidades que ganhou mais fama ultimamente é o Bikram Yoga ou Yoga praticado a altas temperaturas. também o Acro-Yoga (praticado geralmente em casal e que inclui saldos e acrobacias) é uma das vertentes mais de moda.
Dependendo do tipo de Yoga que queiramos teremos uns ou outros resultados. Alguns tipos de Yoga baseiam-se na manutenção das posturas durante um longo período de tempo, enquanto outros são muito mais dinâmicos e orientados para o plano físico. Cabe destacar a este respeito, o nascimento de novas modalidades de Yoga, como o Strala Yoga da ex-modelo, que se transformou em iogue Tara Stiles, que desliga o elemento espiritual desta prática, procurando exclusivamente os benefícios físicos e mentais.
As diferentes posturas de Yoga conseguem colocar em movimento todos os grupos musculares de nosso corpo, além de ser uma boa alternativa para realizar alongamentos e ganhar em flexibilidade. A concentração e a escuta do próprio corpo, saber como ele responde na hora de realizar as posturas que exigimos e, ao fim e ao cabo, conhecer-nos melhor a nós mesmos, são benefícios muito úteis que o Yoga nos proporciona em nosso dia-a-dia.
As aulas costumam terminar com um momento de meditação: não consiste, como se pode pensar, em manter a mente em branco. Mais bem se trata de encontrar uma posição confortável em que nós estivermos em paz com nós mesmos. Deste modo, procura-se a união espiritual, o fim principal da prática do Yoga.

Pilates: “você é tão jovem como flexível for a sua volta”
Esta frase foi pronunciada por Joseph H. Pilates, criador do método Pilates. Este método nasceu da própria necessidade de Pilates de se exercitar, tendo crescido como um menino fraco e doente. Durante a I Guerra Mundial e devido à sua nacionalidade alemã, Pilates foi conduzido a um campo de trabalho na Inglaterra, onde trabalhou como enfermeiro cuidando de feridos de guerra. Foi lá, ajudando na recuperação dos doentes, onde nasceu o seu método de trabalho e o germe do que seriam as futuras máquinas do Estúdio de Pilates.
A exemplo do que ocorre com o Yoga, do método Pilates também surgiram muitas variantes: Pilates praticado em suspensão, Pilates com aparelhos, o Pilates Mat ou no colchonete, inclusive algumas um tanto loucas como Pilates com saltos. As diferentes escolas que se formaram após a morte de Pilates, continuam mantendo seus princípios, mas voltadas cada uma para um trabalho diferente: algumas centram-se mais no trabalho de reabilitação, enquanto que outras são mais voltadas para o controle corporal. Não há uma que seja melhor do que as outras: nós simplesmente temos de avaliar o que é o que nós esperamos de Pilates e isso vai nos dizer na escola que podemos tirar maior partido.
Os princípios de Pilates, em que se baseia o ensino deste método (concentração, controle, precisão, fluidez do movimento, respiração e controle do centro) nos encaminham para o movimento inteligente ou movimento eficiente, isto é, ao fato de mover-se o mais possível, mas com o menor esforço. Para isso, você trabalha a fundo a área central de nosso corpo, que os pilateros conhecem como Powerhouse: na terminologia de fitness nos referimos ao core, formado pela musculatura abdominal profunda e superficial, a musculatura lombar, dos glúteos, os erectores espinhais e os multífidos. Todos estes músculos trabalham unidos em perfeita sincronia, cada vez que nos movemos, já que eles começam e terminam todos os nossos movimentos.
O trabalho de Pilates é muito benéfico para melhorar a nossa postura corporal, já que consegue evitar descompensaciones e desequilíbrios no nosso corpo. Torna-Se muito ênfase, assim, a estabilidade e a mobilidade da coluna vertebral, eixo sobre o que se move todo o organismo: uma coluna flexível e estável é sinal de boa saúde.
Então, o Yoga ou Pilates?
O ideal seria combinar as duas disciplinas, já que o que não nos oferece um de nos pode dar a outra. Ambas são excelentes para melhorar o tônus muscular, para aumentar a nossa flexibilidade e o grau de mobilidade de nossas articulações, para tornar mais eficaz e eficiente a nossa respiração e para trabalhar o nosso corpo em geral.
Se o que buscamos é uma disciplina espiritual, sem dúvida, o Yoga será o nosso melhor aliado, se, pelo contrário, preferimos nos concentrar no trabalho físico, o Pilates será uma melhor opção.
É possível que também se interessa desenhar, o novo yoga para relaxar.