Por que você não precisa de uma dieta de desintoxicação após o Natal

Janeiro costuma ser o mês do ano em que mais pessoas se colocam à dieta: já passou o Natal, com as suas refeições pesadas, seus brindes de festa e de seus típicos doces de natal, e a maioria das pessoas começa o novo ano com dois ou três quilos a mais. Além disso, durante o período de férias nos afastamos de nossa rotina, tanto de alimentos como de física, e isso também colabora para que cheguemos a janeiro um pouco fora de peso.
O início do ano, já quase ao interagir com a temida “operação biquíni”, é a época dourada das dietas-dieta milagre: lucros publicitários que prometem perdas de peso maiores em muito pouco tempo e, é claro, sem sofrer, sem passar fome e sem fazer exercício. Demasiado bom para ser verdade? Então, é que não é.
O crescimento das dietas detox
Se há um tipo de dieta milagrosa que tem sobressaído acima das demais nos últimos anos, essa é a dieta detox. A premissa é simples (mas não certo): o seu corpo foi intoxicado por comer demais e é necessário limpá-lo para perder o peso ganho. Estas “limpezas” são realizadas através de dias de semiayuno em que apenas se consomem certos “sumos depurativos” que vendem determinadas empresas. Ao tomar esses sucos ajudamos o nosso corpo a eliminar as toxinas que nós mesmos temos introduzido e se produz uma perda de peso.

Por que você não precisa de uma dieta detox?
Basicamente, porque o seu corpo não está embriagado. As toxinas que podem existir em nosso corpo não resultam em nenhum caso a comida, por muito calórica que esta seja, e além disso, o nosso corpo possui um sistema que elimina toxinas diariamente: os rins. Não precisamos ajudá-los, desde que funcionem de forma correta, muito menos com sucos vegetais.
Este tipo de dieta detox promovem um consumo diário de calorias, muito abaixo do que precisamos para que nosso organismo funcione corretamente. Além disso, não são equilibradas em relação aos macronutrientes: ao consumir apenas sucos vegetais, estamos oferecendo ao nosso corpo, basicamente, hidratos de carbono (principal componente das frutas e legumes) e muito poucas gorduras e proteínas, necessárias para cumprir funções básicas do nosso organismo.
É possível perder peso com uma dieta de desintoxicação? Sim, certamente o perderá, mas a maioria do peso que perca será água (trata-se de sumos ou batidos de diuréticos) e massa muscular. A água da recuperará logo que voltar a beber, e perder massa muscular (mantendo a massa gorda) não é uma opção interessante: a menor massa muscular em nosso corpo, menos calorias estaremos queimando até mesmo nos momentos de repouso.
Além de tudo isso, as dietas de desintoxicação promovem uma abordagem para a comida pouco recomendável que pode resultar em problemas maiores: nos dão a idéia de que podemos passar momentos de compulsão ou “eu como tudo o que encontro”, porque, em seguida, tratar os outros dois, três ou cinco dias quase sem comer, e, desta maneira, compensaremos. De qualquer forma, comer sem controle para, em seguida, o jejum é um hábito alimentar saudável, nem que tenha que promover na população.
O que faço se quero perder os quilos de Natal?

Se você acha que este Natal te tens passado com os pratos e gostaria de sanar o mais importante é que você coloque-se nas mãos de profissionais da saúde. Recorre à consulta de um nutricionista-nutricionista que irá avaliar o seu caso de forma pessoal e projetar uma dieta sustentável que possa voltar ao seu peso sem criar carências nutricionais de nenhum tipo e sem recorrer ao jejum.
Além de cuidar da sua alimentação, é importante que retomes seus antigos hábitos saudáveis o antes possível: você já passado o Natal sem treinar por falta de tempo ou de energia? Janeiro é o mês perfeito para marcarte novas metas e para retomar os treinos. Realiza um planeamento semanal em que estipules quanto tempo e quantos dias você vai dedicar a entrar em forma de novo, e tenta cumpri-lo à risca, especialmente nas primeiras semanas para recuperar, assim, o hábito do exercício físico.
Por último, o melhor que você pode fazer face ao ano que vem é a prevenção: que o Natal e outras festividades não significam comer sem controle. É possível desfrutar da comida, da bebida e da empresa, sem excedernos, e essa deve ser a premissa para o Natal de 2016.