Promove a autoestima dos idosos com estas dicas

Na verdade, não existe muita diferença em relação às necessidades de auto-estima que podem existir na terceira idade ou em todas as idades. Por isso, podem ser aplicadas medidas semelhantes.
O que sim é diferente durante a terceira idade, é que nela ocorre um declínio das funções físicas, uma perda de energia… de forma natural. E, este tipo de mudanças, exigem um tempo para digerirse adequadamente. Trata-Se simplesmente de mais uma etapa da vida, e, como nas outras, cada um faz as coisas o melhor que pode, dentro de suas possibilidades. Não tem sentido passar o tempo comparando o que se pode fazer agora com o que se fazia antes, nem o que você faz com o que fazem os outros. Nunca tem.
Promove a auto-estima dos idosos: que tenham um motor ou um propósito na vida
Cada pessoa, maior ou pequena, precisa de um motor ou propósito em sua vida. Não importa qual seja. De fato, varia muito, dependendo das pessoas, mas é o suficiente para que nos ergamos felizes a cada manhã. Ou a maioria delas. Isso só te faz mais feliz, melhora a saúde e prolonga a sua vida.
As pessoas que vivem mais tempo têm em comum, entre outras coisas, precisamente com este motor ou finalidade.
Por isso, se a pessoa não tem, ou tenha esquecido temporariamente, ou o que tinha e o que foi perdido, é essencial ajudá-lo a encontrar um. Motivar os idosos a fazer coisas que você gosta, coisas que estava orgulhoso ou orgulhosa em algum momento de sua vida, ou coisas que esperava fazer e que, simplesmente, ficaram na gaveta. Bom, agora é um bom momento para realizá-las.
Ter desafios, sonhos… é absolutamente essencial a todas as idades. Portanto, também durante a terceira idade.
Que sejam autônomos ou o mais autónomos possível
No entanto, talvez há uma tendência por parte de familiares e prestadores de cuidados para não deixar a pessoa mais fazer as coisas à sua maneira, ou a adiantar-se, porque acreditam que ajudam, porque a pessoa maior demora mais tempo.
Não importa o tempo. A menos que você o peça, é melhor deixá-lo fazer as coisas por si mesmo/a. Além disso, como em todas as idades há ciclos e séries, e pode ocorrer que antes lhe costase muito fazer alguma coisa, e, depois, com um pouco de prática e/ou uma melhoria do seu estado físico ou psicológico, não lhe custe tanto. Há que dar-lhe a oportunidade de fazê-lo por si mesmo/a. Certamente, a cara de felicidade que ponha quando superar alguns desafios, será o suficiente para que sua família ou cuidador/a, tenha claro qual é o caminho.

Manter-se mental e fisicamente ativos
Também, como em todas as idades, mas especialmente ao final da vida, é importante manter-se ativos, não apenas fisicamente, mas também mentalmente. Quanto mais usam o corpo e a mente, serão menos afetados pelo processo natural de envelhecimento.
Uma das coisas que lamentam as pessoas que estão próximas da morte é não ter-se atrevido a fazer determinadas coisas. Sempre costumam lamentar o que não fez do que o que se fez. E a terceira idade também é uma boa fase para se arriscar a fazer coisas, ousar, não deixar passar as oportunidades ou passar para a ação.
Amar-se e respeitar-se
Também é importante para manter qualquer complexo de inferioridade. A terceira idade não implica, de maneira nenhuma, que é menos do que antes. É importante ajudar a pessoa a amar e a respeitar. A cuidar de seu corpo e cultivar a sua mente, para manter um bom aspecto físico e socializar.
Se ele ou ela não toma a iniciativa, sempre se podem introduzir pequenas mudanças, embora seja apenas na aparência externa, que lhe façam sentir-se melhor, para que, quando é o momento certo para ele ou ela simplesmente o faça.
Certamente, a pessoa mais terá vivido o suficiente para saber que é responsável por sua vida e que o vitimismo só serve para gerar atenção. Mas, se não tomar a atitude correta, simplesmente recuérdaselo e ajude-o a tomar de novo as rédeas de sua vida.
Outra coisa importante é, se você não fizer por si mesmo/a, ajudá-lo a adoptar uma atitude positiva e a comprometer-se, a não ser um mero espectador da vida, mas para vivê-la. Para expressar a sua opinião e tomar as suas decisões, que, desde então, têm de ser tidas em conta.
A terceira idade é simplesmente mais uma etapa na vida, com suas vantagens e desvantagens. Por isso, como família ou cuidador/a é essencial que você ajude a ver isso, no caso de que não o faça por si mesmo/a.