Qual é a idade ideal para conseguir uma gravidez?

As mulheres espanholas nascidas em 1975, são as mais infecundas de todas as gerações de nosso país nos últimos 130 anos. Assim o diz um estudo do Centro de Estudos Demográficos da Universidade Autónoma de Barcelona (UAB) publicado no início de fevereiro de 2016.
Provavelmente, uma de cada quatro mulheres nascidas em meados dos anos setenta não vai ter filhos quando atingir os 50 anos, contra os seus desejos e expectativas. O estudo atribui essa infecundidad, principalmente, ao atraso na idade da primeira maternidade, que fica na casa dos 30 anos e meio, frente aos 26 anos, entre 1985 e 2012.
Não há dúvida de que existe uma estreita relação entre idade e fertilidade, mas saibamos como afetam os anos, a probabilidade de conseguir uma gravidez.

A idade ideal para conseguir uma gravidez
A Sociedade Portuguesa de Fertilidade indica que a mulher apresenta a sua máxima fecundidade entre os 20 e os 30 anos, que é o espaço de tempo com mais probabilidade de conseguir uma gravidez com sucesso, chegando a ser de 25% por mês de acordo com a idade da mulher.
Apesar de cada vez, nos cuidamos mais, e gostamos de melhor saúde em idades mais avançadas, isso não altera a fisiologia do sistema reprodutor feminino, já que se nasce com uma quantidade de oócitos determinada que, inevitavelmente, vai diminuindo com os anos.
Em geral, a mulher nasce com um milhão de óvulos, um número que diminui durante a infância até situar-se em torno de 400.000 com a primeira menstruação e 200.000 com 30 anos. Você ganha cerca de 400 óvulos maduros na vida reprodutiva da mulher. Há muitos óvulos disponíveis em cada ciclo menstrual, mas apenas um chegará a amadurecer, possibilitando assim a fecundação.
Diminuição da capacidade fértil

Como acabamos de ver, a partir dos 30 anos, a reserva ovariana da mulher começa a cair, diminuição que se agrava aos 35, período a que chegamos com 10% dos oócitos com que nascemos, ou seja, com uma menor capacidade de desenvolver óvulos maduros de qualidade para a concepção. A partir de 38 anos, a fertilidade sofre um declínio muito importante.
A menopausa aparece, em média, em torno dos 50 anos, se bem que uma em cada 100 mulheres que tem antes dos 40 anos e uma de cada 10, antes dos 45. Portanto, em linhas gerais, cerca de 13 anos, antes que ele desapareça a menstruação com a menopausa, a reserva ovariana começa a diminuir consideravelmente.
E se ainda não é o momento?
Apesar de os números, cada vez são mais as mulheres que decidem adiar a sua primeira gravidez. Os motivos são diversos: de trabalho, pessoais, sociais, familiares… O congelamento de óvulos é uma alternativa para, chegado o momento ideal, se este é a partir, por exemplo, os 40 anos, ter mais chances de engravidar ao usar os óvulos guardados os 30 anos, por exemplo.
Neste caso, há que ter em conta que é a fase de maior fertilidade, já que é imprescindível ser fértil no momento da coleta para que o congelamento de óvulos seja efetiva. Por regra geral, é recomendável congelá-los antes dos 35 anos. Provas como a contagem de folículos antrales através de uma ecografia vaginal e o teste de hormônio antimüllleriana permitem saber de maneira simples, as possibilidades que tem uma mulher na hora de engravidar.
Quando ir ao médico
Se bem que há mulheres que podem alcançar a gravidez aos 40 anos, sem problemas e outras têm dificuldades antes dos 30, a idade continua a ser o fator mais determinante no que diz respeito à fertilidade, frente a outros que também influenciam, como o consumo de tabaco e álcool, a má alimentação e a obesidade.
Em qualquer caso, a espécie humana não é exatamente das mais fecundas da natureza. Em idade fértil e mantendo relações sexuais regulares e sem proteção, apenas 25% dos casais consegue uma gravidez durante o primeiro mês, e uma grande maioria não consegue, até passado um ano, segundo dados da Sociedade Portuguesa de Fertilidade. Superado esse prazo de 12 meses, é aconselhável consultar o médico para que possa descartar qualquer problema de fertilidade e aconselhar sobre as opções possíveis.