Quando a aposentadoria é o início dos problemas de casal

Da mesma maneira que cada um de nós passamos por diferentes fases ao longo de nossa vida, o casal também faz. Cerca de alterações ligadas à sua evolução que, em ocasiões e, infelizmente, acabam quebrando. É o caso, por exemplo, a aposentadoria, que pode constituir a origem de muitas crises conjugais.
As rotinas que estão se acostumando a seus membros a passar longas horas fora de casa, o cuidado dos filhos e outra série de questões foram deixando em um segundo plano, algo extremamente importante: o visto com frequência. Algo que nem sempre sabe se enfrentar e que dá lugar a certos problemas. Além disso, entram em jogo outros fatores individuais que hoje trataremos de abordar.
O amor e os problemas do casal após a aposentadoria
A primeira coisa que devemos ter em conta é que a aposentadoria leva a aumentar mudanças muito importantes na vida da pessoa que se aposenta e que, inclusive, pode ser condenado a uma crise, começar a planteársela de outro modo, e assim por diante.
Tanto é assim, que os estados de depressão, a melancolia diante do fato de entrar em uma nova época e a angústia são sentimentos comuns entre muitas pessoas e que, evidentemente, afetam a relação de casal. O medo do futuro, a possíveis problemas de saúde, fruto da idade e o envelhecimento, são outros possíveis fatores condicionantes.
Que problemas podem surgir

Nos modelos mais tradicionais de família, em que a mulher normalmente tem cuidado da casa e em que o homem tem trabalhado, a reforma se apresenta como um momento perfeito para desfrutar juntos. No entanto, pode potencialmente resultar em problemas quando ela não sabe delegar as tarefas domésticas e, quando ele não souber como ocupar seu tempo livre, e acaba por fechar-se em casa, com a consequente apatia e falta de relações que isso provoca.
Para não falar dos problemas de ociosidade forçada, em um momento em que o indivíduo ainda se sente válido. Algo muito semelhante ao caso anterior acontece se ela continua trabalhando, e é ele o que se reformou. O importante, neste ponto, e sobretudo se a pessoa que se aposenta mantém suas faculdades, é que se mantenha ativa. E se você não sabe com que gastar o tempo, ajudar os outros é sempre uma boa opção.
Directamente relacionado com isto está o cuidar dos netos. Algo frequente em avós aposentados e que, se bem é motivo de felicidade, pode acabar causando certa ansiedade e até mesmo conflitos de casal relacionados não apenas com o cuidado destes pequenos, mas com a sua educação.
Será fundamental que se ponham limites nesta relação, os horários, termos e outros. Também será básico que nunca se cancelarem planos por esta razão. Outros problemas podem ocorrer quando apenas um deles o que está aposentado e ao cuidado dos netos.
O desequilíbrio nas condições físicas ou estilo de vida entre os membros do casal, por exemplo, também poderia vir a ser motivo de discórdia. Por exemplo, se ela é mais jovem, está habituada a fazer exercício com regularidade e ele tem trabalhado muitas horas e não teve tempo de ter hábitos mais saudáveis, é mais que possível que suas propostas não compatíveis.
Para terminar, a economia pode ser mais uma fonte de conflitos, sobretudo porque se vê prejudicada e nem sempre se sabe como lidar com esta situação. O mais habitual, de fato, é que os casais gastarem mais durante os primeiros anos. Algo que deve ser tido em conta e também ser valorizados, se necessário, com a ajuda de um especialista.
Soluções para os problemas do casamento, após a aposentadoria

Além da obrigatória visita ao especialista os casos que tenham começado a surgir problemas, é importante ter em conta algumas questões gerais. Por exemplo e para que se faça uma idéia, o básico será que vai voltar a definir as bases da vida em comum com uma atitude positiva, com humor e sem perder o entusiasmo.
Aqui estamos nos referindo tanto às questões que têm que ver com os objetivos pessoais –as expectativas e desejos, como com as que se encontram relacionadas com a convivência. Voltar a distribuir as tarefas e colocar o assunto sobre a mesa o quanto antes evitará divergências, reclamações e outros, que podem acabar manchando os verdadeiros sentimentos.
A gestão do tempo para si, do que se passa com os amigos, etc, são outras questões que deveriam ser abordadas, pois, evidentemente, a situação é outra. Tomemos o caso de um casal cujos membros trabalham fora de casa, mas que, em seu tempo livre e fins-de-semana, saiam sempre juntos. Ao se aposentar, decidem ir a todos os lugares juntos. Algo que lhes resta espaço pessoal e que pode levar a conflitos. Digamos que é importante definir os limites.