Quando é recomendado começar a usar fones de ouvido?

Os especialistas falam de dois tipos diferentes de o que comumente se conhece como surdez, produzida por algum agente externo e a própria idade.
O que é a auditiva?
O termo médico, a primeira é auditiva e é produzida por uma infecção no ouvido, por tomar medicamentos com efeitos colaterais negativos nos ouvidos, por um golpe ou trauma, ou por problemas congênitos.
O que é a presbiacusia?
A partir dos 50 anos, pode começar a dar a lata da surdez associada à idade, o que os médicos chamam de presbiacusia, onde se começa a perder ouvido e não por uma lesão, mas por problemas próprios da idade.

Para avaliar a causa de nossa perda de audição e o estado de estado de nosso sistema auditivo, o otorrinolaringologista conta com dois testes básicos. A primeira coisa que faz é ver como está o ouvido com a ajuda de um aparelho chamado otoscópio. Dessa forma, descarta que exista uma lesão que nos impeça de ouvir com nitidez. Por outro lado, está a audiometria, que é uma prova em que nos colocam vários sons (agudos e graves) para ver se os ouvimos bem.
Uma vez estudado cada caso, a equipe de especialistas se comentará as opções que existem para contrabalançar sua perda auditiva com um fone de ouvido, cuja missão é amplificar os sons, com base na perdida. A adaptação a esses dispositivos é gradual, e deve ser feito seguindo as normas ditadas pelo Audioprotesista.

Existem dois tipos principais de aparelhos auditivos:
Retroauriculares, que ficam atrás da orelha (BTE, RIC e RIE)
Intrauriculares, que são feitos à medida e são inseridos dentro de ouvido (ITE,ITC e CIC)
Cada um desses sistemas é indicado para um tipo específico de surdez. Para realizar a escolha adequada do dispositivo, você deve informar para escolher o fone de ouvido que mais se adapte às suas necessidades e circunstâncias. Voltar a ouvir o que acontece ao seu redor pode depender de uma boa revisão por parte de uma equipe de profissionais especializados.