Raspagem dental: quando a limpeza não é suficiente

Já sabemos da importância de manter uma higiene dental adequada diariamente em nossa própria casa, fazendo bom uso da escova e pasta de dentes, o colutorio e o fio dental. Também falamos em ocasiões anteriores, a importância de realizar regularmente, geralmente a cada seis meses, uma limpeza mais profunda na consulta do dentista: este tipo de limpezas mais profissionais nos ajudam a acabar com o tártaro e as bactérias que se acumulam na cavidade bucal e que podem dar lugar a algumas infecções ou patologias dentais e orais.
Mas, o que acontece quando a limpeza dos dentes não é suficiente? Nestes casos recorre-se à curetagem dental, que inclui o raspagem dental e o alisamento radicular. Vejamos em que consistem estas técnicas de limpeza, quem deve fazê-las e quando devemos levá-las a cabo.
O que é o raspagem dental?
O raspagem dental faz parte do curetagem dental, que deve ser levado a cabo por um periodontista e que se realiza após uma limpeza dental e combinado com o alisamento radicular. Este curetagem é usado para curar a epilepsia como um tratamento de remoção da placa bacteriana ou tártaro supra e subgingival (por cima e por baixo das gengivas) quando a limpeza tradicional não é suficiente para removê-los.
Um tratamento para quando a limpeza bucal não é suficiente
Em alguns casos, não é suficiente fazer uma limpeza dental em um dentista, para acabar com a placa, o tártaro e inflamação das gengivas. É, então, que o profissional médico deve avaliar se é necessário fazer uma curetagem com raspagem dental e alisamento radicular incluídos.
O raspagem dental e alisamento radicular consiste em raspar as superfícies das raízes dos dentes através de instrumentos chamados cureta e têm como objetivo sanear as gengivas e as peças dentárias. Este curetagem é geralmente feito em várias sessões, dividindo nossa boca em quatro quadrantes diferentes e aplicando-o apenas em um quadrante, por sessão: raspagem e alisamento pode ser um pouco chato, e é possível que seja necessário usar anestesia local para minimizar o desconforto do paciente.
Através da raspagem dental remove o tártaro e a placa bacteriana para fora da superfície dos dentes, nas áreas escondidas pelas gengivas. Através da cureta, o médico pode aceder ao espaço que existe entre a gengiva e o dente para realizar uma limpeza completa.

Quais são os problemas concretos a resolver o raspagem dental?
O principal problema que é resolvido através da raspagem dental é a periodontite. A periodontite ocorre quando existe uma infecção ou inflamação das gengivas e esta não for tratada devidamente, e é a principal causa de perda de peças dentárias em adultos. Devido à falta de higiene, a placa e o tártaro que se acumulam na base dos dentes, o que faz com que as gengivas se inflamam e se formem bolsas ou espaços entre a gengiva e o dente. Estas bolsas com tártaro e placa provocam a inflamação do tecido mole, o que acarreta danos para os tecidos e o osso ao redor do dente.
A epilepsia afeta as estruturas que sustentam o dente se não tratada de forma adequada este começar a mover-se à medida que o dano vai avançando. O verdadeiro perigo da periodontite é que muitas vezes os sintomas não aparecem até que a situação é realmente grave e danos causados às estruturas que sustentam o dente é dificilmente reversível. Mas tratando a doença a tempo que pode parar a sua progressão, e até mesmo, em alguns casos, é possível melhorá-lo.
Quais são os resultados nos oferece o raspagem dental?
Depois de uma raspagem dental e alisamento radicular nossa dentadura fica livre de placa e tártaro, e só deveremos permanecer com a manutenção de uma higiene dental adequada (sendo, isso sim, muito cuidado na hora de usar o fio dental e a escova de dentes) e consultar o dentista para fazer uma limpeza a cada seis meses. Sim, é certo que os dentes podem apresentar um pouco mais de sensibilidade em relação às mudanças de temperatura e até mesmo, em algumas ocasiões, pode ocorrer um pequeno sangramento, mas normalmente são episódios esporádicos.